Pessoa de sexo não identificado, com cabelo roxo e pele azul, segurando uma xícara de café com vários ícones em alusão ao Manual do Usuário na fumaça e um celular na outra mão. Embaixo, o texto: “Apoie o Manual pelo preço de um cafezinho”.

Netflix procura alguém para assistir a filmes — e ser pago por isso

Bruno Capelas, no Estadão:

Se você é daqueles que já disse: “ah, que bom seria se meu trabalho fosse ver filmes e séries o dia todo”, preste atenção: a Netflix acaba de abrir uma vaga para quem quiser trabalhar justamente com isso, tendo apenas a tarefa de descrever objetivamente cada filme e episódio de série que for assistido.

A vaga é esta aqui e é restrita a ingleses e irlandeses. Parece um sonho, né? Talvez seja mesmo, mas de forma alguma é um emprego fácil.

As habilidades exigidas dos candidatos já dão uma ideia da dificuldade: é preciso ser especialista em conteúdo de cinema e TV, detalhista e organizado, e obcecado pelo acompanhamento de projetos. Diferencial apreciado: saber usar o Excel e ter experiência com CMSs.

Esse trabalho é a primeira linha do sistema de recomendação de conteúdo da Netflix, um monstro super otimizado que combina insights humanos com a trituração de dados feita por algoritmos. No começo do ano Alexis Madrigal desvendou os segredos e bateu um papo Todd Yellin, vice-presidente de produto da Netflix e criador desse sistema, neste belo texto na Atlantic.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Dúvidas? Consulte a documentação dos comentários.

Compre dos parceiros do Manual:

Manual do Usuário