O teclado Bluetooth mais barato do Brasil vale a pena?

Foto próxima de um teclado preto, mostrando detalhes das teclas.

A saga da bateria estufada do meu notebook, em abril, revelou a necessidade de eu ter um plano de contingência, ou seja, uma alternativa fácil e rápida que o substitua em uma situação urgente.

Já tenho outro “computador” dando sopa aqui, a depender da classificação adotada: um tablet. Ele não tem teclado físico e, por ser um iPad antigo, tem conector Lightning, o que dificulta bastante conectá-lo a acessórios com fio. Restou, pois, a saída de um teclado Bluetooth a fim de deixar o tablet com mais cara de computador. Embora teclados sem fio sejam mais caros que os com (e eu não tenha nada contra fios), ainda assim sairia muito mais barato que comprar qualquer outro computador.

Acabei encomendando o modelo mais econômico que encontrei, um da marca H.Maston, detalhe tão relevante que sequer era citado no anúncio da loja. Na real, este teclado é vendido sob diversas marcas, incluindo algumas nacionais como Multilaser e Maxprint. Não sei dizer se todos são exatamente o mesmo modelo; visualmente eles são todos idênticos, o que me leva a crer que se trata de um projeto genérico chinês vendido a qualquer empresa disposta a colocar sua marca nesse negócio e comercializá-lo.

O teclado Bluetooth baratinho lembra bastante o da Apple. Ambos têm o mesmo perfil fino, layout das teclas e outros detalhes na aparência. Para mitigar essa breguice, optei pelo modelo na cor preta. A caixa dele, como a de todo projeto de baixo orçamento, lista as cores disponíveis e sinaliza a do que está dentro dela com um visto marcado com um pincel. Segundo essa listagem, o referido teclado também está disponível em cores pouco usuais, como verde e “azul pavão”. Nas lojas virtuais brasileiras, porém, só encontrei os modelos prata “quero ser Apple” e preto.

Teclado de perfil segurado por uma mão, mostrando sua espessura.

E… bem, é um teclado barato, ou seja, não dá para esperar muita coisa. Se houve alguma surpresa, ela foi negativa: não esperava que as teclas fossem tão duras, a ponto de atrapalhar a digitação — o que, em um teclado, é um problemão. Escrevi alguns milhares de palavras nele e, mesmo assim, não me acostumei à resistência das teclas. Já usei muito teclado furreba, daqueles mais baratos da loja, e nunca tive tanta dificuldade para digitar como tenho neste. Melhor que digitar na tela do tablet? Sim, mas não muito, infelizmente.

A espessura fina e a leveza do teclado, combinadas com a força que ele exige para registrar os toques, criam uma situação ruidosa e desagradável. É um teclado barulhento, a despeito de ter teclas baixas e ser do tipo membrana. Não bastasse a barulheira, ele também fica “dançando” na mesa, pois leve demais para as pancadas que suas teclas exigem. (As duas pilhas AA que dão energia para ele funcionar não acrescentam muito peso.) Aliás, lembre-se de comprá-las separadamente, pois, pelo menos no modelo vendido pela H.Maston, pilhas não acompanham o produto.

Caixa do teclado Bluetooth H.Maston segurada por uma mão contra uma parede branca.

Paguei cerca de R$ 100 neste teclado. Não o recomendo. A menos que a conexão Bluetooth seja essencial — e são poucos os cenários em que ela é, sendo o meu um desses —, existem modelos de preço similar ou até mais baratos que entregam experiências muito melhores. Como um quebra-galho vai servir, mas não consigo me imaginar usando esse negócio por mais do que alguns dias. (Aliás, numa dessas ironias da vida, meu notebook ficou pronto no mesmo dia em que fechei o pedido deste teclado.)

Se por qualquer motivo você realmente quiser comprar este modelo, força nos dedos e boa sorte.

Edição 20#29

Deixe um comentário para Ligeiro Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 comentários

  1. Aproveitando o tópico, quais teclados silenciosos vocês recomendam? Tenho um da logitech mas faz muito barulho e já estou pensando em trocar.

    1. Na humildade, pois já publiquei aqui e nada: não sei se já conhece, mas uma possível recomendação, sem querer indicar marca ou modelo, você pode começar pesquisando sobre teclados mecânicos com Switchs Cherry. Senão me engano, qualquer teclado que utilizar Switchs Cherry do tipo Red ou MX Red são silenciosos. Os Cherry Brown já fazem barulho, mas não tanto quanto os Blue. Dependendo do que escolher vai ter ainda retroiluminação. Daí pode influenciar no preço se tiver iluminação ou não , iluminação de uma cor ou iluminação RGB.

  2. 100 reais??
    A qualidade de um produto genérico desse não é surpresa, porém, basta procurar e facilmente se acha alternativas de mais qualidade.

    O kit (vem teclado e mouse) MK220 da Logitech custa cerca de 120-130 reais (quando comprei foi 100 reais) e claro que por ser de uma marca famosa não garante o resultado mas é bem melhor do que um teclado genérico superfaturado.

    1. Até onde sei, o MK220 não funciona por Bluetooth, precisa de uma porta USB para conectar o receptor. Como a intenção era usar o teclado em um iPad antigo, não me serviria.

      Além disso, precisava com urgência, o que me levou a vendedores que entregam mais rapidamente. A oferta de produtos diminuiu bastante por isso e pelo frete, bastante alto a depender do vendedor.

      Pesquisei bastante antes de comprar. No fim, foi o modelo mais barato para as minhas necessidades.

  3. As vezes o barato sai caro. Tudo bem que as vezes se acham produtos sem marcas famosas, mas que tem qualidade aceitável. Mas as vezes, na maioria delas, compensa ir num produto já testado e com boa reputação graças a esses mesmos testes. Eu pessoalmente, iria de Logitech…. Acho que é k380 o modelo, só conferindo, que inclusive é”multi device” o que o torna até mesmo um backup do teclado do pc quando não estiver conectado ao iPad.

  4. Comprei um teclado Logitech (MK220) por esse preço. Estou curtindo e atende muito bem. Tenho um Logitech solar que uso no mac e recomendaria muito se quisesse pagar um pouco a mais.

  5. Ghedin, provocando-lhe um pouco, acho que tu realmente pagou caro por este teclado.

    Pelo que a matéria descreve, se for o que penso, consigo ver este teclado sendo vendido nas lojas tipo “Santa Ifigênia” na faixa dos R$ 50 / 60. Esqueço de falar que se precisar de algo da região, me avise que pesquiso. É o mínimo que posso fazer para ajudar tu e o MdU.

    Fui pesquisar aqui e achei um Logitech com touchpad por uns 200 reais. https://www.kalunga.com.br/prod/teclado-sem-fio-touch-k400-plus-logitech-cx-1-un/671192

    Ainda sobre teclados, mas desviando um pouco: interessante como no meio onde estou, existe uma cultura de comprar teclado usado de “marca”(HP / Lenovo / Dell).

    No mercado de usados, teclados de computadores empresariais são baratos e respeitados. Aguentam bem o tranco e duram anos. Tenho pessoas que já comprei teclado de 10 anos e durou mais 10/15 anos.

    1. Existe uma onda de recuperar teclado mecânicos antigos, principalmente os modelos da IBM (alguns com conector parecido com o RJ11 de linha telefônica). Esses tempos vi um desses teclados por R$500 no ML.

      1. Isso na verdade há tempos que é feito, isso porque virou moda desde que “hipsters” deram valor ao “Model M”. O Nagano, do ZTOP, já falou sobre isso lá no próprio.

        Era barato a 15 anos atrás, na verdade até era refugo para reciclagem. Mas quando começou “a onda vintage”, Model M era disputado a tapa. Hoje é raro achar.

      2. E quanto ao teclado que falei, na verdade são teclados que são oriundos de computadores voltados a empresas. Geralmente a qualidade da construção é melhor, mais robusto e com peças mais duráveis. Isso falando de teclados de 15 anos atrás, seja PS2 ou já indo para USB.

        Teclados de pcs empresariais mais modernos estão com estilo mais “barato”, e aparentemente com menor durabilidade.

        1. Meu último emprego CLT foi na Dell de Eldorado do Sul e o teclado que deram pra gente era terrível. Assim como o mouse. Provavelmente era a linha mais barata dos periféricos deles (o que não entra na minha cabeça, porque todo o resto do equipamento era topo de linha). Assim, era comum que os funcionários comprassem teclados melhores – única restrição era que não podia ter teclado mecânico no escritório hahahaha

  6. Tenho um Nokia SU-8W que funciona até hoje.

    Infelizmente, o layout do teclado era específico para aparelhos rodando Symbian. Acentuar qualquer coisa no Android é um verdadeiro exercício de fé. Não fosse isso, eu estaria usando até hoje.

  7. Compadeço da sua dor Ghedin… Tenho um teclado igual (meu veio com a marca New Link) desde 2018 eu acho. Antes disso tive por cerca de um mês um da Multilaser, que estragou. A experiência de digitação é realmente tão ruim que deve ter mais de um ano que não o utilizo.

    A ideia de um teclado bluetooth era tbm usar no tablet e substituir o notebook pelo conjunto teclado + tablet na faculdade. Mas dentre tantos barulhos de digitar, erros em teclas e problemas de conexão, não usei muitas vezes.

    Acho que esse mercado de teclados bluetooth mais portáteis é realmente algo que não decolou no Brasil, infelizmente. Meu sonho era ter as opções da microsoft por aqui.

  8. “(…)por ser um iPad antigo, tem conector Lightning(…)”
    Se não me engano, a Apple só oferece USB-C nos modelos Pro dela. Enquanto isso, até o iPad Air 2019 e o Mini 5 tem lightning. Eu não sei é se esses dois tem entrada P2, como o iPad de entrada tem.

    Focando em teclados, eu uso o do meu notebook mesmo, é bom de digitar, mas percebi que algumas teclas (A e D, por exemplo) afundaram um pouquinho. A sensação tátil delas continua a mesma, mas é visível que elas são um pouco mais baixas do que as outras (comparando com a Ç fica mais aparente).
    Como o botão de ligar é no teclado, me pergunto se vai dar pra ligar o notebook se o teclado parar de funcionar…

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário