[Review] Mi Band, a pulseira fitness mais barata do mercado

Por quase um mês a Mi Band, pulseira fitness da chinesa Xiaomi (ou Mi, como preferir), não saiu do meu pulso. Pareada ao smartphone, ela contabilizou meus passos, monitorou meu sono e tremeu gentilmente na hora em que eu deveria acordar ou quando recebi alguma ligação. Ao fim do período, a pergunta que não saía da minha cabeça era “por quê?” Continue lendo “[Review] Mi Band, a pulseira fitness mais barata do mercado”

[Review] Android Wear e Moto 360, o smartwatch da Motorola

Demorou, mas finalmente um smartwatch passou por aqui. Foi o Moto 360, da Motorola, que usei por quase um mês pareado a um Moto X (2014). Como o Android Wear praticamente não varia, diferentemente do Android para smartphones, aproveitei os testes para tentar entender, também, o que a indústria promete (e entrega) em troca de um espaço no nosso pulso. Continue lendo “[Review] Android Wear e Moto 360, o smartwatch da Motorola”

Quem quer um relógio modular?

A Blocks Wearables, que tinha me escapado totalmente na última CES, foi a Taiwan apresentar os últimos progressos do seu smartwatch modular. Ele rodará Android normal (nada do Wear) e usará o onipresente Snapdragon 400, mesmo SoC que a maioria dos smartwatches já à venda usa.

Não sei se é uma coisa minha, mas um relógio, que já é um negócio pequeno, composto por peças ainda menores como se fosse um jogo de Lego parece-me uma ideia ruim. Continue lendo “Quem quer um relógio modular?”

Quem manifesta o amor com impressões digitais?

Designers parecem acreditar que no futuro nos apaixonaremos por robôs e que devemos compartilhar nossas frequências cardíacas, impressões digitais e outros dados biométricos enquanto humanos ainda têm chance. Por que outro motivo eles continuam criando apps bizarros para mandar dados corporais inexplicáveis? Seguindo a tendência recente de apps para Android e iOS que encorajam casais a compartilharem suas digitais, agora os designers do Apple Watch querem que usemos as batidas do coração de quem amamos em nossos pulsos.

As tecnologias mais frustrantes e mal resolvidas empurram para cima da gente rituais e costumes em vez de permitir que os usuários brinquem por conta própria e experimentem. Em nenhum outro lugar isso é mais evidente que na escória das lojas de apps móveis, com apps como “Love Finger Scan” ou “Fingerprint LOVE.” O app Couple tem até um negócio chamado ThumbKiss™ para quem tem fetiche por cristas epidérmicas. Continue lendo “Quem manifesta o amor com impressões digitais?”

[Review] Misfit Shine: a pulseira fitness mais bonita e longeva disponível

Uma das categorias de produtos mais prolíferas nesses últimos anos é a de pulseiras fitness. Com sensores e conectadas aos nossos smartphones, elas prometem uma vida menos sedentária através de dados minuciosos sobre como nos movimentamos. A Shine, da Misfit, é uma das mais bonitas dessa safra. Mas será que é boa? Continue lendo “[Review] Misfit Shine: a pulseira fitness mais bonita e longeva disponível”

[Review] Pulseira All4One Connect U220, da Netshoes

Gadgets vestíveis, ou “wearables” estão em ascensão e embora ainda não seja fácil avistar um relógio inteligente ou um (bate na madeira) Google Glass nas ruas, produtos mais em conta e menos agressivos socialmente já estão no nosso alcance. Hoje, o jeito mais fácil e barato de experimentar essa nova categoria é com uma pulseira fitness.

Existem várias, de muitas marcas e com níveis de complexidade variados — mas não se preocupe, a maioria é simples de operar. Uma das poucas exceções nesse aspecto e a da Netshoes, que através de uma nova marca, a All4One, se lançou nicho dos gadgets vestíveis com a pulseira Connect U220. Como ela se comporta frente a rivais de fabricantes mais experientes? Continue lendo “[Review] Pulseira All4One Connect U220, da Netshoes”

5 relógios (não tão) inteligentes, mas lindos e com baterias duradouras

Os relógios inteligentes, ou smartwatches, são a nova menina dos olhos para as grandes empresas de tecnologia. Infelizmente eles ainda precisam melhorar em pontos-chave como autonomia e, em muitos casos, design. Embora não sejam tão inteligentes, uma leva alternativa de relógios que não são tão “smart”, mas mais bonitos e capazes de fazer algumas coisas a mais do que o despertador daquele seu clássico Casio de R$ 20 sem pedir recarga todo dia, já está aí. Eles são mais acessórios de beleza do que relógios, mas passam longe de serem só corpinhos bonitos. Conheça-os: Continue lendo “5 relógios (não tão) inteligentes, mas lindos e com baterias duradouras”

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!