Os muitos entraves que dificultam o avanço do Android Wear — digo, Wear OS

Em março, o Google mudou o nome do Android Wear, seu sistema operacional para relógios inteligentes — ou smartwatches. Agora, ele se chama Wear OS. Se você só está sabendo disso agora, não se culpe: por uma série de fatores, a iniciativa do Google em smartwatches não ganhou a mesma tração que a de smartphones. Continue lendo “Os muitos entraves que dificultam o avanço do Android Wear — digo, Wear OS”

Smartwatches e a busca pela próxima grande tendência

O smartphone moderno está prestes a completar dez anos. Desde esse início, muito se fala sobre qual será a próxima grande tendência da tecnologia. Afinal, a curva em “S” do smartphone está quase completa e é do interesse da indústria, inclusive das empresas que mais lucraram nesse segmento (ou das poucas que lucraram), encontrar um produto alternativo que a fim de manter o crescimento. Mas como é difícil… Continue lendo “Smartwatches e a busca pela próxima grande tendência”

[Review] Android Wear e Moto 360, o smartwatch da Motorola

Demorou, mas finalmente um smartwatch passou por aqui. Foi o Moto 360, da Motorola, que usei por quase um mês pareado a um Moto X (2014). Como o Android Wear praticamente não varia, diferentemente do Android para smartphones, aproveitei os testes para tentar entender, também, o que a indústria promete (e entrega) em troca de um espaço no nosso pulso. Continue lendo “[Review] Android Wear e Moto 360, o smartwatch da Motorola”

Primeiros reviews do Moto 360 criticam bateria ruim e tamanho

O Moto 360 foi lançado hoje nos EUA e, com isso, caiu o embargo dos sites de tecnologia para a publicação dos reviews. E… bem, se isso é o melhor que Google & amigos podem fazer no momento, parece que ainda não chegou a hora dos gadgets vestíveis.

Pelas duas análises que já li, o 360 peca em bateria e tamanho. E a tela poderia ser melhor. O estilo foi ressaltado em ambos os reviews e, por fotos e vídeos, descontada a espessura ele parece mesmo bonito. Enfim, coisa para ver ao vivo quando chegar ao Brasil, em outubro (nada de preço local ainda). Continue lendo “Primeiros reviews do Moto 360 criticam bateria ruim e tamanho”

Tela, câmera e estilo são os pontos fortes do G3, smartphone topo de linha da LG agora no Brasil

Ontem (22) a LG anunciou a chegada do G3 no Brasil, seu novo smartphone topo de linha. A empresa ressaltou o poder e a simplicidade do aparelho para tentar ganhar o consumidor premium (leia-se com mais de R$ 2.000 para gastar em um celular) e aproveitou para exibir, também, o relógio inteligente G Watch e a nova família de tablets G Pad. Tudo isso na companhia da atriz Cleo Pires numa vibe bem estranha e mais um punhado de gente da imprensa em São Paulo. Continue lendo “Tela, câmera e estilo são os pontos fortes do G3, smartphone topo de linha da LG agora no Brasil”

Alguém quer um relógio inteligente?

Kevin Roose, na New York:

Apesar de todo o barulho em torno dos [gadgets] vestíveis, não está claro quem deveria estar comprando eles. Menos da metade dos entrevistados em uma recente pesquisa da Accenture disseram que considerariam comprar um relógio inteligente, e mesmo os analistas mais otimistas preveem apenas 20 milhões de relógios do tipo vendidos esse ano, número insignificante comparado aos das vendas de smartphones e tablets. O ceticismo do mercado talvez seja em função do quão cedo os primeiros relógios inteligentes saíram de cena (poucos duraram mais do que um ou dois anos antes de serem tiradas das prateleiras). Mas o mais provável é que os relógios inteligentes atuais continuam sendo gadgets misteriosos e de certa forma redundantes. Até os modelos mais sofisticados não fazem nada que um celular não consiga, exceto ficar confortavelmente no seu pulso. E o fator novidade ainda é alto. Os caras dos códigos do Vale do Silício podem apreciar a capacidade de pedir pizza a partir do próprio pulso (o que é, por sinal, um app real do Android Wear), mas o resto de nós não tem muita necessidade de outro dispositivo para carregar por aí, manter carregado e se preocupar em não quebrar.

Em certo sentido o ceticismo é parecido com o que acometeu o iPad, mas isso não garante que o Android Wear e outros relógios inteligentes terão o mesmo destino.

5 culpados pela primeira geração do Android Wear não empolgar

A primeira safra de relógios inteligentes rodando Android Wear está em pré-venda nos EUA e vários sites já publicaram análises e comentários sobre G Watch, Gear Live e Moto 360, as apostas de LG, Samsung e Motorola. Pelo que se viu até agora, não será dessa vez que relógios que fazem mais do que mostrar as horas se tornarão populares. Continue lendo “5 culpados pela primeira geração do Android Wear não empolgar”

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!