Privacidade em tempos de FaceApp; 5G faz mal à saúde?

Como é bom estar de volta! O Guia Prático retorna para esta terceira temporada — a lógica da contagem de temporadas é meio arbitrária, mas isso é mero detalhe —, agora em parceria com o Gizmodo Brasil.

No primeiro programa da nova fase, eu (Rodrigo Ghedin), Guilherme Tagiaroli e Giovanni Santa Rosa falamos da polêmica da privacidade do FaceApp, o app que acelera o tempo e usa inteligência artificial na nuvem para mostrar como será o seu visual daqui a algumas décadas, e da história dos deputados catarinenses que querem barrar o 5G porque acreditaram no vídeo de um charlatão que o YouTube faz o desfavor de deixar no ar. Também temos seções especiais de indicações (pegue os links abaixo) e da agenda da semana, em que antecipamos algumas novidades do Galaxy Note 10, novo super celular da Samsung.

Mande o seu recado para o podcast! Pode ser pelo e-mail podcast@manualdousuario.net ou enviando um áudio no Telegram para @ghedin.

Continue lendo “Privacidade em tempos de FaceApp; 5G faz mal à saúde?”

Como lidar com o suicídio nas redes sociais

No programa de hoje, eu (Rodrigo Ghedin) e Fabio Montarroios entrevistamos Karen Scavacini, doutora em psicologia pela USP e fundadora e diretora do Instituto Vita Alere de Prevenção e Posvenção do Suicídio. Recentemente, ela participou de um painel organizado pelo Facebook com experts do mundo inteiro para sugerir melhorias na prevenção do suicídio e no trato a sobreviventes nas redes sociais Facebook e Instagram.

Lidar com o assunto nesses ambientes é um trabalho difícil e delicado, pois há muitas nuances que geram a necessidade de abordagens específicas para cada caso. Na entrevista, Karen fala dessas dificuldades, dos progressos feitos e como agir ao se deparar com alguém que esteja manifestando pensamentos suicidas na internet.

Continue lendo “Como lidar com o suicídio nas redes sociais”

Tecnologia e modelos de negócio são aliados na prática de exercícios físicos

Cedo ou tarde você se vê sedentário e resolve começar — provavelmente na próxima segunda-feira — uma mudança de hábito. Decide exercitar-se. Quem toma esta decisão hoje pode tirar proveito de aplicativos auxiliares e de academias que, ao adotarem modelos de negócio consagrados por startups de tecnologia, oferecem equipamentos modernos, farta disponibilidade e preços baixos. No programa de hoje, eu (Rodrigo Ghedin), Naiady Piva e Fabio Montarroios debatemos esse assunto.

Continue lendo “Tecnologia e modelos de negócio são aliados na prática de exercícios físicos”

“Meu corpo estava doendo”

No retorno do post livre (sim, voltou pra valer), a discussão sobre idade foi a mais votada pelos leitores. Chamou-me a atenção, nela, os comentários de gente jovem reclamando de dores no corpo.

Eu também tenho as minhas, derivadas de anos usando computadores, nem todos seguindo aquelas velhas orientações de postura e outras boas práticas. Com o smartphone, que normalmente nem uso tanto, parece que as coisas pioraram. A mão direita é das partes que mais sofrem: primeiro com o mouse, depois o trackpad (a rolagem machuca o dorso) e, nos últimos anos, manuseando o celular.

Até pouco tempo atrás, problemas do tipo (LER/DORT) ficavam restritos a profissionais que lidavam com computadores o dia todo. Esse perfil se espalhou para outras áreas. O smartphone, tão ou até mais nocivo que a dupla teclado+mouse, está impregnado na sociedade. Piora: o contato com esses aparelhos começa cada vez mais cedo, quando criança, fase em que a estrutura óssea ainda está em formação e mais sensível a desvios como os ocasionados pelo uso desses dispositivos.

Ainda não atingi o ponto sem volta, mas em dias de trabalho mais intenso, quando vou dormir com o ombro ou a mão doendo, é difícil não pensar no ponto de ruptura. E desesperador. Se não puder mais escrever, o que farei?

Nesta ótima matéria do BuzzFeed sobre o tema (em inglês), Diane Cho, 26, diz que “um grande motivo que me fez querer mudar de carreira foi meu braço estava literalmente se destroçando. Meu corpo estava doendo.”

App Health do iOS 8 conta passos sem depender de acessórios externos

O iOS 8 Beta 3 trouxe uma versão atualizada do app Health capaz de mensurar os passos do usuário sem depender de um acessório como pulseira ou relógio. Agora ele é capaz de extrair e apresentar esse tipo de dado do chip M7, dedicado a essa função, presente no iPhone 5s.

Com isso, ele se equipara ao Saúde e Bem Estar, do Windows Phone 8.1, que atua da mesma forma com smartphones Lumia que contêm o SensorCore — modelos 630, 635, 930 e 1520.

Estou testando o Xperia Z2 com uma SmartBand, a pulseira bacana que faz essa função de podômetro, monitora meu sono (sabe-se lá como) e permite controlar algumas funções rudimentares do smartphone através de toques em sua superfície. Além de esfregar meu sedentarismo na cara, ainda não encontrei outra função que não a estética para a SmartBand.

Escreverei mais sobre ela, e adianto a pergunta: o que você espera, ou gostaria que uma pulseira do tipo fizesse? E questiono, também: por acaso estou deixando alguma coisa incrível que esse negócio é capaz de fazer?

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!