Os óculos do Facebo… digo, Ray-Ban Stories

O Facebook anunciou, em parceria com a Luxxotica, dona da marca Ray-Ban (e de praticamente todas as outras de óculos), um par de óculos inteligentes chamado Ray-Ban Stories. Notou a falta de algo? Pois é, nenhuma menção a Facebook ou Instagram ou qualquer coisa do tipo. Também tiveram o cuidado de criar um app específico para receber as fotos e vídeos feitos com os óculos do Faceb… digo, Ray-Ban Stories, chamado View. Apesar disso, é preciso logar com o Facebook.

Mark Zuckerberg, homem branco de cabelo curto claro, usando óculos escuros, de frente para a câmera.
Estilera 😎. Foto: Ray-Ban Films/YouTube.

Se a ideia de um óculos com câmera do Facebook já soa surreal demais a você, continue comigo. Os Ray-Ban Stories têm um indicador luminoso, próximo à câmera, para alertar as pessoas de que o esquisitão usuário está filmando. Essa luz não pode ser apagada de jeito nenhum, mas a repórter Katie Notopoulos, do BuzzFeed News, recorreu ao bom e velho dedão para tapá-la. Resolve, certo? Calma aí! Alex Himel, vice-presidente de realidade aumentada do Facebook Reality Labs, disse a ela que esconder o LED é uma violação dos termos de uso dos óculos, que proíbem adulterações.

Termos de uso dos óculos.

Óculos com câmera do Facebook.

Em que realidade paralela esse povo vive? Via BuzzFeed News (em inglês), @internetofshit/Twitter (em inglês).

O novo Spectacles da Snap permite que você veja o mundo em realidade aumentada

Mulher usando os óculos avantajados da Snap. Ao fundo, algumas árvores desfocadas e o céu azul.
Foto: Snap/Divulgação.

Há de ser reconhecido o esforço da Snap em criar óculos cada vez mais feios. Desta vez, a empresa apresentou um Spectacles de realidade aumentada. Não está à venda, é só para criadores de conteúdo em RA, e… sim, se isso chegar ao mercado, provavelmente terá um visual menos “óculos 3D de cinema”. Esse “se”, porém, ainda é forte: o modelo atual só dura 30 minutos antes da bateria morrer. Veja em vídeo o que o usuário vê nas lentes. Via The Verge (em inglês).

Nunca é demais enfatizar: esta pulseira não pode ler seu cérebro.

— Andrew “Boz” Bosworth, VP do Laboratório de Realidade do Facebook O Facebook está desenvolvendo uma “pulseira neural” capaz de ler sinais elétricos enviados às suas mãos e reenviá-los a uma interface de realidade aumentada. O que poderia dar errado? Via BuzzFeed News (em inglês).

“realidade aumentada” meu amigo eu gostaria que a realidade DIMINUÍSSE

— @alonatalia/Twitter

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário