Realidades aumentada e virtual: faltam apps e pé no chão de quem as promovem

Enquanto executivos da Qualcomm e de parceiros falavam à plateia de jornalistas no Snapdragon Summit, com frequência algum slide ao fundo exibia pessoas usando equipamentos de realidade aumentada ou virtual. Mesmo após os fracassos do Google Glass e dos Spectacles e a lentidão para engrenar dos headsets de realidade virtual, o entusiasmo e os investimentos da indústria nessas tecnologias não parecem ter diminuído. Continue lendo “Realidades aumentada e virtual: faltam apps e pé no chão de quem as promovem”

A realidade como um serviço

Sempre vi a realidade como mista, então quando soube que a Microsoft lançaria uma linha de Headsets Windows de Realidade Mista, fiquei animado. Todo mundo que colocasse esse capacete, presumi, veria o mundo exatamente como eu vejo. Era um sonho tornado realidade. A subjetividade seria finalmente resolvida, e a meu favor. Aqui, finalmente, um gadget — de ninguém menos que da Microsoft — que eu poderia endossar. Continue lendo “A realidade como um serviço”

Imagens, Snapchat e mobile

Pela primeira vez na história, basicamente todas as pessoas do mundo terão uma câmera. Mais de cinco bilhões de pessoas terão um celular, quase todos serão smartphones e quase todos terão câmeras. Muito mais pessoas vão tirar mais fotos do que nunca — mesmo hoje, talvez entre 50 e 100 vezes mais fotos são tiradas por ano do que foram capturadas em rolos de filme até então. Continue lendo “Imagens, Snapchat e mobile”

Fenômenos como Pokémon Go aceleram a democratização de tecnologias de ponta

Goste ou não, Pokémon Go (Android, iOS) chegou com força ao Brasil. É relativamente difícil encontrar donos de smartphones que não estejam caçando os bichinhos virtuais. Tamanha popularidade transcende o nicho em que a Niantic, fabricante do jogo, e a Nintendo, “dona” da franquia, miraram. O joguinho virou parte da cultura mainstream, capaz de pontuar conversas que vão desde aquelas de elevador até a teorias da conspiração envolvendo a CIA, passando pelo noticiário político e a TV e outros meios que tradicionalmente ignoram jogos eletrônicos. Quando isso acontece, testemunhamos mudanças profundas se desdobrando à nossa volta. Nesse caso, o destaque que a tecnicidade necessária para usufruir da experiência ganha vale um comentário. Continue lendo “Fenômenos como Pokémon Go aceleram a democratização de tecnologias de ponta”

BUILD 2015: É possível termos um bilhão de dispositivos rodando Windows 10 em três anos?

Na abertura da BUILD 2015, a conferência para seus desenvolvedores, a Microsoft deu mais detalhes sobre o vindouro Windows 10, apresentou novas formas de trazer apps à plataforma, revelou o nome comercial do novo navegador Project Spartan e estabeleceu uma meta ambiciosa: em três anos, ter um bilhão de dispositivos rodando a última versão do seu sistema.

Foi uma apresentação longa, com quase três horas de duração e que eu não acompanhei. Li o que rolou pelo Twitter e em matérias posteriores, e algumas coisas me chamaram a atenção. Para segmentar os comentários e livrá-lo de partes que não queira ler, dividi o post em três partes. As outras são sobre o desenvolvimento de apps e o novo navegador Edge.


Um bilhão de Windows 10 em três anos.

Um bilhão é um número bem ambicioso. Ao ler isso comecei a pensar nos fatores que podem levar a Microsoft ao seu objetivo. Ano passado, por exemplo, foram vendidos pouco mais de 315 milhões PCs. A base de PCs, considerando as diversas versões do Windows, ultrapassa um bilhão. Continue lendo “BUILD 2015: É possível termos um bilhão de dispositivos rodando Windows 10 em três anos?”

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!