Cuidado para não virar o vovô Simpson gritando para nuvens

Este Tecnocracia começa bem lúdico. Transcreverei duas notícias publicadas por um veículo de massa e um trecho de ensaio falando sobre a chegada de uma nova tecnologia e você vai pensando sobre o que o sujeito está falando:

1. “A tecnologia fez algum bem? Acabou com algum mal, mitigou alguma tristeza? É de alguma consequência que você, de Nova York, deva saber na terça-feira em vez de quarta-feira que Jones amassou o nariz de Thompson no Congresso na segunda-feira? Algum dinheiro a mais é ganho ou perdido pelos especuladores de algodão em Nova Orleans e Nova York por que eles sabem das variações de ambos os mercados em cinco minutos, não mais cinco dias, antes que sua operações passem a valer?”

Continue lendo “Cuidado para não virar o vovô Simpson gritando para nuvens”

Napster e o legado (legalizado) da “pirataria”

Em 2019, o Napster, serviço pioneiro de compartilhamento peer-to-peer (P2P) de músicas “piratas”, completa 20 anos. Há duas décadas, milhões de pessoas com acesso à internet vivenciaram uma das mais empolgantes experiências no que concerne ao consumo da música: o download gratuito de quaisquer canções na rede. Para além da gratuidade, quem realizava os downloads estava livre para adquirir apenas as músicas que lhe interessava — desprendendo-se, muitas vezes, de faixas desconhecidas que compunham o álbum de um artista — e contava com a comodidade de obtê-las em casa, sem ter que se deslocar fisicamente até uma loja de CDs.

Mais do que facilitar a vida daqueles que tinham acesso a computadores e à internet ao final da década de 1990, o Napster localizou a música no campo digital, introduzindo (de modo mais categórico) sensos de justiça sobre o consumo ou mesmo inspirando o formato de negócio que muitos anos depois seria adotado por empresas como o Spotify. É sobre tais legados que este texto trata.

Continue lendo “Napster e o legado (legalizado) da “pirataria””

Após 33 anos, Bloco de Notas do Windows ganha primeira grande atualização

O Bloco de Notas é um dos aplicativos do Windows mais antigos ainda em uso. Ele precedeu o próprio sistema — dois anos antes de lançar o Windows 1.0, a Microsoft já tinha uma versão do Bloco de Notas para MS-DOS. Agora, 33 anos depois de debutar no Windows e aparecer em rigorosamente todas as versões do sistema, o Bloco de Notas finalmente ganhará uma atualização digna de nota. Continue lendo “Após 33 anos, Bloco de Notas do Windows ganha primeira grande atualização”

O homem que comprou uma licença do WinRAR

Antes das lojas de aplicativos, dos smartphones, da internet rápida e dos meios de pagamento simples, usávamos computadores ruidosos, em conexões lentas e munidos de um tipo de aplicativo chamado “utilitário”. Entre eles, o compactador de arquivos era um dos mais populares. Dentro desse micro universo, havia o WinZip, que provavelmente aquele seu tio contador tinha comprado e instalado no computador novo dele, e o WinRAR, que, mesmo igualmente pago, podia ser usado de graça e, além de tudo, parecia ser melhor. Continue lendo “O homem que comprou uma licença do WinRAR”

Como seria a sua timeline no Twitter há dez anos com quem você segue hoje

Se você já estava no Twitter há dez anos (estamos ficando velhos), entre na rede social e clique neste link. Ele busca tweets de dez anos atrás dos perfis que você segue hoje, criando uma timeline direto do túnel do tempo.

Outra brincadeira legal é ver o que você publicava há uma década. Para isso, copie a URL abaixo, troque “nome” pelo seu perfil e dê Enter:

https://twitter.com/search?f=tweets&q=filter%3Afollows%20until%3A2008-05-25%20-filter%3Areplies%20from%3Anome&src=typd

Repare que no meio aparece uma data. Você pode editá-la para ver outras eras do Twitter.

Dica do Andy Baio.

Revisitando a primeira rede social que desafiou a hegemonia do Facebook

Ouvimos o feedback. É preciso uma maneira mais simples de controlar suas informações. Nas próximas semanas, lançaremos controles de privacidade muito mais fáceis de usar. Também lhe daremos uma maneira simples de desativar todos os serviços de terceiros. Estamos trabalhando duro para disponibilizar essas mudanças o quanto antes. Esperamos que você goste do resultado do nosso trabalho e, como sempre, estamos ávidos para saber o que você achou.

Você acertou se atribuiu o trecho acima a Mark Zuckerberg. Errou, porém, se acha que ele foi feito nesta semana, talvez durante as sabatinas a que o CEO do Facebook se submeteu no Congresso dos Estados Unidos a fim de se retratar pelo escândalo da Cambridge Analytica. Continue lendo “Revisitando a primeira rede social que desafiou a hegemonia do Facebook”

F30 Pro, da 8bitdo, moderniza os antigos (e ótimos) controles de videogame

Em algum ponto no meio da vida do primeiro PlayStation, a Sony lançou controles com direcionais analógicos. Fazia sentido nos ambientes tridimensionais que aquele videogame proporcionava. Em jogos antigos ou nos modernos que preservam quatro ou oito eixos? Nem tanto. A 8bitdo, de Hong Kong, está suprindo a demanda por bons controles com direcionais digitais em formato de cruz. E está fazendo isso muito bem. Continue lendo “F30 Pro, da 8bitdo, moderniza os antigos (e ótimos) controles de videogame”

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!