Pessoa de sexo não identificado, com cabelo roxo e pele azul, segurando uma xícara de café com vários ícones em alusão ao Manual do Usuário na fumaça e um celular na outra mão. Embaixo, o texto: “Apoie o Manual pelo preço de um cafezinho”.

A sustentabilidade dos fones de ouvido sem fio da Fairphone

Causou estranheza, no anúncio do Fairphone 4 5G, a ausência do conector de 3,5 mm para áudio. Afinal, a (empresa) Fairphone quer ser referência em sustentabilidade. Para complicar um pouco mais, a Fairphone anunciou na mesma ocasião um par de fones de ouvido sem fio, uma categoria que se tornou muito popular desde o lançamento dos AirPods originais da Apple, ainda que sejam um desastre ambiental por não ter baterias substituíveis. A bateria não segura mais carga? Joga fora e compra outro.

A Fairphone alega que seus fones de ouvido são mais sustentáveis que os outros. Em comunicado enviado à imprensa, afirmou que usa 30% de plástico reciclado nos próprios fones e na caixa e que o ouro usado no produto vem de fornecedores certificados. O texto reconhece que a baixa longevidade das baterias é “o maior problema” em fones sem fio, e o ataca “aumentando significativamente a vida útil da bateria”, a um nível sem paralelo na indústria.

Quanto mais? O texto não dizia, então perguntei. Em resposta ao Manual do Usuário, a Fairphone afirmou que “espera que a longevidade da bateria aumente em mais de 100%”, observando, porém, que esse número está diretamente relacionado à frequência de uso e de recargas feitas pelo usuário.

Aproveitei a oportunidade para perguntar das baterias, se elas são substituíveis ou se, após desgastarem, a única saída é jogar os fones fora. A resposta:

Esses fones de ouvido podem ser encarados como o primeiro passo em uma jornada para aumentar o nível de sustentabilidade neste popular segmento de áudio. Por isso, no momento, elas [as baterias] não são reparáveis, mas isso é algo em que estamos atentos para o futuro.

Continua estranho. Os fones de ouvido sem fio da Fairphone serão lançados na próxima segunda-feira (1º), por € 99,95 (~R$ 620).

Fairphone 4 5G

Imagem do Fairphone 4 5G de frente e de costas, na cor cinza.
Imagem: Fairphone/Divulgação.

A Fairphone, fabricante de celulares modulares e sustentáveis sediada na Holanda, anunciou nesta quinta (30) o Fairphone 4 5G, primeiro celular 5G modular do mundo. O aparelho começa a ser vendido no dia 25 de outubro, apenas na Europa, em duas configurações (6 GB/128 GB e 8 GB/256 GB de RAM/espaço), ambas equipadas com um chip Snapdragon 750G, e sai de fábrica com o Android 11 e a promessa de no mínimo receber atualizações até 2025, talvez até 2027 “apesar do fim do suporte do fornecedor do chipset”. O Fairphone 4 5G custará € 579 ou € 649 — cerca de R$ 3,6 mil e R$ 4 mil. Via Fairphone (em inglês).

Compre dos parceiros do Manual:

Manual do Usuário