Cookie pools: Como as lojas coletam seus dados pessoais e te enviam e-mails sem permissão

Imagine a cena: você acessa o site de da loja X, navega pelas seções de produtos e coloca alguns no carrinho virtual. Não fecha a compra, por qualquer motivo, e parte para outro site. No dia seguinte, recebe um e-mail da loja X que te chama pelo nome e lembra que há itens pendentes no seu carrinho. Detalhe importante: você não forneceu seu e-mail ou qualquer outro dado pessoal à loja X. Como isso é possível? Graças a uma técnica chamada “cookie pool”. Continue lendo “Cookie pools: Como as lojas coletam seus dados pessoais e te enviam e-mails sem permissão”

Câmeras, comércio eletrônico e aprendizagem de máquina

Mobile significa que, pela primeira vez, praticamente todas as pessoas terão uma câmera e tirarão significativamente mais fotos do que jamais foram tiradas em rolo de filme (“Quantas fotos?”). Isso parece uma mudança profunda, com o mesmo impacto de, digamos… o rádio transistorizado que tornou a música ubíqua. Continue lendo “Câmeras, comércio eletrônico e aprendizagem de máquina”

O grande guia de compras de smartphones

O que compõe um smartphone? Tela, antenas, sensores e alto-falantes colocados num retângulo que pode ser de plástico ou alguma liga de metal. Parece simples, mas não é. Nem fabricá-lo nem comprar um. Existem dezenas, talvez centenas de smartphones diferentes à venda no Brasil, com preços que variam de R$ 250 a R$ 5 mil. Qual o melhor em cada faixa de preço? O Manual do Usuário indica. Continue lendo “O grande guia de compras de smartphones”

B2W, dona do Submarino, opera a loja virtual da Mi no Brasil

Redmi 2 no site oficial da Mi Brasil.

Lembra daquele Redmi 2 que vazou antes da hora no Submarino? Ficou um climão, ainda mais com a Mi dizendo horas depois, no Facebook, que seus produtos seriam comercializados exclusivamente pelo seu site oficial. O mistério aumentou quando, dias mais tarde, o Submarino começou a ligar aos clientes que tinham comprado o produto para oferecer vale-compras de R$ 450. Continue lendo “B2W, dona do Submarino, opera a loja virtual da Mi no Brasil”

Submarino oferece vale-compra a quem boletou Redmi 2, da Mi

Na noite da última terça-feira, o Submarino colocou à venda o smartphone Redmi 2, da Mi (ou Xiaomi). Ao que tudo indica, a loja queimou a largada, já que o lançamento da marca Mi e de seus produtos no Brasil está marcado para 30 de junho. Alguns clientes conseguiram fechar a compra enquanto a página do produto esteve no ar e, hoje, eles receberam uma ligação do Submarino a fim de resolver a questão.

Soube, de duas fontes distintas, que o Submarino ligou hoje à tarde aos clientes que boletaram o Redmi 2, da Mi, oferecendo um vale-compra de R$ 450 como “pedido de desculpas.” Uma das fontes havia pago o boleto e, além do vale-compra, a loja se comprometeu a fazer o estorno, com o valor do frete incluso, o que dava R$ 370. À outra fonte, o atendente do Submarino perguntou se ela havia pago o boleto (não havia) e ofereceu um o mesmo vale-compra, de R$ 450.

Na madrugada de terça para quarta-feira, a Mi, por meio da sua página no Facebook, informou que no Brasil seus produtos serão vendidos exclusivamente pelo site oficial. Por que o Submarino queimou a largada de uma corrida da qual, aparentemente, ele nem participará? Bem estranha essa história…

Submarino vaza Redmi 2, primeiro smartphone da Xiaomi no Brasil [Atualizado 3x]

Poucos dias atrás a Xiaomi (ou apenas Mi) anunciou seu lançamento oficial no Brasil. Será em São Paulo, no dia 30 de junho, às 11h da manhã. Tem até um site para você se cadastrar para tentar participar da festa. Mas… o Redmi 2, um dos dois smartphones da marca já homologados pela Anatel, apareceu no Submarino antes da hora. Continue lendo “Submarino vaza Redmi 2, primeiro smartphone da Xiaomi no Brasil [Atualizado 3x]”

Como meu FIFA 15 de caixinha custa mais barato que o download direto da EA?

O digital nos trouxe algumas vantagens claras. É mais barato, por exemplo, distribuir conteúdo assim do que por meio físico. E esse conteúdo é reproduzível com fidelidade total a um custo muito baixo — o de um Ctrl+C, Ctrl+V. Vez ou outra, porém, o mercado nos brinda com situações difíceis de compreender à luz dessas informações.

Um caso típico é o do e-book mais caro que o livro físico: Continue lendo “Como meu FIFA 15 de caixinha custa mais barato que o download direto da EA?”

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!