O código Bill Gates

O código Bill Gates (trailer), novo documentário de Davis Guggenheim lançado recentemente pela Netflix, faz jus ao título original — numa tradução livre, algo como “por dentro do cérebro de Bill”.

O documentário se divide em três partes de pouco menos de uma hora cada, todas com uma estrutura que costura os desafios atuais do filantropo Gates com sua biografia, incluindo alguns momentos-chave dentro da Microsoft. Guggenheim se vale — e faz bom uso — do amplo acesso que teve a Gates, sua esposa Melinda, as irmãs do bilionário e amigos e colaboradores, alguns de longa data.

Continue lendo “O código Bill Gates”

Universo alternativo: Cine Filmes e a pirataria de filmes debaixo do nariz do Google

Nota do editor: Esta matéria é parte de um especial do Manual do Usuário sobre aplicativos para Android em posições de destaque na Play Store brasileira, mas que estão fora do radar da imprensa. São famosos desconhecidos que, juntos, criam uma espécie de universo alternativo dos apps. Leia também a primeira parte (4Shared) aqui e a segunda (Biugo).


A relação entre a indústria do entretenimento e a pirataria sempre foi de tensão. Uma briga de gato e rato que contrapõe empresas multibilionárias e idealistas ou pessoas comuns sem muitos recursos, mas com uma vontade imensa de ter acesso à ampla produção artística da humanidade. Por isso, casos como o do Cine Filmes chamam a atenção: um app de streaming de filmes direto, gratuito, sem qualquer aval da indústria cinematográfica e que permaneceu disponível na Play Store por meses como um dos apps mais baixados da plataforma do Google.

Continue lendo “Universo alternativo: Cine Filmes e a pirataria de filmes debaixo do nariz do Google”

90 anos de Metropolis, o clássico filme de ficção científica de Fritz Lang

Entre as suas várias funções, a ficção tenta, com o uso de metáforas, analogias e exercícios de futurologia, nos fazer entender e vislumbrar aonde estamos indo. Nesse último sentido, a ficção científica se mostra especialmente importante em tempos de tecnicalidade extrema e uma confiança talvez sem precedentes de que a resolução dos nossos muitos conflitos passa por meio externos ao próprio ser humano.

Hoje, 10 de janeiro de 2017, a ficção científica no cinema celebra mais um aniversário. Há 90 anos, era lançado, em Berlim, o longa-metragem Metropolis, a obra-prima do cineasta Fritz Lang. Continue lendo “90 anos de Metropolis, o clássico filme de ficção científica de Fritz Lang”

Uma conversa sobre Eis os Delírios do Mundo Conectado, documentário de Werner Herzog

Nota do editor: Em Eis os Delírios do Mundo Conectado (Lo and Behold: Reveries of the Connected World no original), Werner Herzog coloca o seu estilo e olhar apurado a serviço de um grande debate sobre a Internet — da concepção e fundamentos da rede ao que ela pode vir a ser num futuro distante. Eu e Fabio Montarroios conferimos o documentário e, depois, sentamo-nos juntos para debatê-lo. É um formato diferente, mas que nos pareceu adequado para abordar o assunto. Não sei se isso é possível em documentários, mas “contém spoilers” (?). Continue lendo “Uma conversa sobre Eis os Delírios do Mundo Conectado, documentário de Werner Herzog”

O teste de Turing definitivo está em Ex Machina

O teste de Turing surgiu faz mais de meio século e ainda não foi superado. Nesse meio tempo, o cinema imaginou diversas situações em que humanos e máquinas, seres dotados de inteligência artificial, se relacionam. Em poucas vezes, porém, as implicações desse encontro foram tão profundas quanto em Ex Machina, de Alex Garland. Um robô pode, afinal, ter consciência tal qual um ser humano? Continue lendo “O teste de Turing definitivo está em Ex Machina”

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!