Vivendo (e sofrendo n)a era pós-PC

Mesa com um caderninho, caneta, tablet, caixa de som e garrafa d’água.

Neste podcast eu conto como foi (está sendo) fazer este site e viver sem um notebook. (Difícil, adianto.) No final, indico um documentário brasileiro e este artigo em inglês.

Edição 20#16

A melhor maneira de acompanhar o site é a newsletter gratuita (toda quinta-feira, cancele quando quiser):

Acompanhe também nas redes sociais:

  • Mastodon
  • Telegram
  • Twitter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 comentários

  1. Fala Ghedin,

    Achei que o som está OK, com um barulho aqui e ali mas sinceramente, nada que comprometa o entendimento do que está sendo dito.
    Com relação a sua ideia de ter uma redundância usando um Raspberry Pi, eu acho válido, principalmente se você comprar a ultima versão de 4GB (com distribuições Linux leves você tem um ótimo ambiente de trabalho, rodando liso a partir de 2GB) e PPOE, ou se vc tivesse mouse e teclado sem fio, ficaria só o cabo de rede e do monitor na mesa (ah sim, tem de comprar um monitor né?).
    Desse lance todo do Raspberry, acho que o exercício mais válido e ter tudo que se necessita usando somente o browser (princípio que tento seguir) o que gera mobilidade independente da plataforma.

    Como disse no Twitter, a partir da semana que vem passo a ser apoiador, curto bastante os podcasts da casa ;)

    Fique bem,

    Ricardo

  2. A experiência deve ser boa se você se prepara para isso. Digo pois a algum tempo atrás li sobre aquele projeto da Samsung o DEX e fiquei até interessado na ideia de ter uma aparelho meio que “all-in-one”. Pois apps existem e da pra fazer o trabalho, o problema maior parece ser mesmo a agilidade (não sei bem se seria essa a palavra, mas teclado e mouse parece ser bem mais produtivo que usar o touch).

  3. Olá Rodrigo,

    Passei por isso no inicio do isolamento, pois eu e minha esposa começamos a trabalhar em casa e só temos um notebook.
    Ela ficou com o computador e eu trabalhando com um IPad. Consegui trabalhar tranquilamente com ele, mas digitar na tela é sofrível, a experiência melhorou muito quando comprei um teclado bluetooth baratinho.
    Depois do teclado não senti mais falta do notebook, mas sem dúvidas é preciso um período de adaptação.

    Abraço!

  4. Olá Rodrigo, tudo bem?

    Estranho… Reparei que quando te escutei pelo meu agregador de podcast, e falando sobre esse episódio em particular, notei que o som ficava “picotado”. Fiquei surpreso ao perceber que aqui no manual do usuário sua voz saiu límpida e o som sem nenhum problema… Seria um problema do agregador?

    Utilizo o Podcast Addict há muitos anos mas essa foi a primeira vez que notei isso.
    Alguma ideia?

    No mais: excelente episódio e continue com o programa.

    Um abraço

    1. Curioso, Marcel. Este episódio foi gravado de maneira diferente do tradicional, direto no celular. Talvez alguma configuração no aplicativo de edição (também no celular) tenha gerado esse problema. Os próximos serão gravados como sempre, no computador; se o problema persistir, por favor, me avise.

    1. Sim, está com a última versão do iPadOS.

      Até seria interessante testar o suporte a mouse/trackpad. Na parte mais pragmática da coisa, para o que eu faço um teclado já é minimamente suficiente.

      Fazer o iPad substituir um computador dá uma trabalheira enorme. Não sei se você já viu/acompanha o MacStories; é de um cara meio aficionado por iPad e que fez essa transição há um bom tempo. É tanto detalhe, tanta adaptação, que, para mim, só valeria em caso de necessidade mesmo.

  5. Ainda bem que você tem um tablet , imagine ler tudo pelo celular. Eu não consigo, precisa ser numa tela grande, me da certa agonia/desconforto.

    Não sei se por eu ser de outra geração, mas não me vejo sem um computador para fazer assuntos relacionados.

    1. Esse sentimento é justificável. Ler no celular é meio claustrofóbico mesmo e, embora não tenha nenhuma pesquisa à mão, sinto que a leitura no celular é mais pobre, no sentido cognitivo; parece que fixa menos, demora mais, é pior de modo geral.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!