[Podcast #41] Surface Pro 3 e os híbridos com Windows: é esse o futuro que queremos?


26/5/14 às 12h40

Vaio Fit 13A em suas três posições/formatos.
Foto: Sdu7cb/Flickr.

Semana passada a Microsoft revelou o Surface Pro 3 e, com ele, passou a mirar no MacBook Air em vez do iPad. A nova encarnação do híbrido da Microsoft se apresenta como uma opção (teoricamente) sem comprometimentos para quem deseja substituir tablet e notebook por um equipamento só.

Eu (Rodrigo Ghedin), Joel Nascimento Jr. e Matheus Bonela discutimos esse ponto. Existe mesmo um problema a ser resolvido aí ou a Microsoft está lutando contra moinhos imaginários, inventando moda? E o Windows 8, que aposta nessa convergência e tem falhado em puxar a indústria nesse sentido, tem salvação? Essas e outras respostas, no programa!

Caso prefira, baixe o arquivo MP3.

O podcast do Manual do Usuário vai ao ar semanalmente e é editado por Jefferson Rossini. Estamos no iTunes ou via RSS.

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 comentários

  1. A diferença da Apple é toda a sua estrutura voltada a design. Os produtos dela não atendem aos anseios de todas as pessoas, mas em geral atendem algum público: o produto é realmente melhor do que algo que já temos hoje?

    A Apple errou o tempo com produtos como o Power Mac Cube e o primeiro MacBook Air, mas geralmente eles esperam a tecnologia estar suficientemente desenvolvida para entregar um produto funcional e com preço aceitável. O iPad era um projeto antigo, mas a Apple esperou ficar minimamente decente o produto para lançar o primeiro em 2010.

    A Microsoft errou o tempo de novo: o primeiro Surface deveria ter sido o que foi lançado semana passada. Pode haver ressalvas em relação a esse novo, mas parece um produto bem mais interessante. O primeiro Surface Pro era sem sentido para qualquer público. Em um futuro próximo, acho que será possível ter um smartphone em uma dock para substituir o PC, mas hoje não. O poder de processamento necessário não cabe em um corpo tão pequeno: exatamente como aconteceu com o primeiro Surface que era um tijolo perto de outros tablets.

    Além de impedir o lançamento precoce, pensar em design também faz desistir de alguns produtos. Do jeito que está o iOS, é impensável juntar o sistema com o OS X se você for um programador (blogueiro também certo?). Se além de pensar nos recursos ausentes do iOS, pensássemos na interface que seja boa com teclado + trackpad e touchscreen, as coisas ficam ainda mais difíceis.

    Dado o cenário, juntar tudo em um device é uma tarefa ingrata. Por isso, a Apple simplesmente está aprimorando o que existe e entendeu que o produto substituto do Mac para muita gente é o iPhone e o iPad. O iPod perdeu o sentido para o usuário comum, mas a Apple não virou o produto de cabeça para baixo para renova-lo como a Microsoft fez com o Windows.

    O Windows 8 não é melhor para tablets e não é melhor para notebooks. Desktops com tela de 20′ então…prefiro nem comentar. Há coisas que não se transferem de uma plataforma para outra. O launchpad é a forma mais natural de utilizar o iOS, mas no OS X o Spotlight é bem melhor por causa do teclado. O recurso “preview” que é a coisa que mais gosto do OS X faz pouco sentido sem o Spotlight e o Finder.

    Usando a frase do póprio Jonny Ive: é fácil ser diferente, difícil é ser melhor. A Microsoft está querendo ser diferente, mas ainda não conseguiu ser melhor. Ambientes gráficos distintos para o mesmo sistema poderia tornar o Windows um sistema híbrido e daqui alguns anos, o Surface será leve como o iPad Air…mas esse dia não chegou ainda.

  2. Muito bom ter participantes novos no cast, não que os antigos eram ruins, nada disso. Que bullying é esse com o Espírito Santo? Moro no interior do ES na fronteira com MG e já recomendei o cast e o site nos dois estados.

    Tenho um Lumia L520 e me surpreendi com o sistema e o aparelho, não sou um heavy user mas estou gostando muito, talvez porque não baixo muitas apps só as famosas de comunicação e fotos. ;)
    Quero um Surface porque fiz o contrário de muitos usuários, prefiro um smartphone de entrada no dia a dia pois não vejo videos, não jogo e não preciso de muitos aplicativos, uso mais para anotações, mensagens, TO DO, calendário e redes sociais (facebook e twitter), ou seja, não preciso de um aparelho top para fazer minhas atividades.
    Invisto no tablet com mais recursos justamente para ver videos (filmes e séries), leitura e navegação na internet. Para mim uma tela de 7 já não dá conta, quero um tablet de 10 ou 12 (olá surface). Já encomendei o meu Surface para amigos que vão voltar para o Brasil no final do ano mas acho uma sacanagem ter que comprar assim, quero poder ir numa loja testar, mexer para depois comprar.