83% dos brasileiros estão na internet; TV ultrapassa PC como dispositivo para se conectar

Slide da pesquisa TIC Domicílios 2020, mostrando gráfico de evolução dos usuários de internet por dispositivo utilizado.
Gráfico: Cetic/Reprodução.

O Comitê Gestor da Internet (CGI.br) publicou a edição 2020 da pesquisa TIC Domicílios, um raio-x da internet no Brasil realizado anualmente pelo Cetic.br. Os dados revelam que 81% do país, ou 152 milhões de brasileiros, estão conectados à rede. Um dado curioso é que embora a pandemia tenha estancado o declínio do computador como meio de acesso (usado por 42% dos conectados em 2019 e 2020), a TV segue crescendo e, pela primeira vez, ultrapassou o computador (44% dos usuários contra 42% dos de PCs). Desde 2019, o celular é líder absoluto, usado por 99% dos brasileiros conectados — nas classes D e E, o acesso se dá exclusivamente pelo celular para 90% das pessoas. Via Cetic.br (PDF).

Deixe um comentário para Rodrigo Ghedin Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 comentários

  1. obrigado por compartilhar esses dados, ghedin! são fundamentais pro meu trabalho e pesquisa :)

      1. Sim! As pesquisas são ótimas e conheço algumas delas, mas ia passar totalmente batido. Vc chamou a atenção para um ponto bacana :). Compartilhei com os colegas da firma e espero gerar uma boa discussão com isso. E serve tb pra pesquisas q envolvem o acesso do público aos conteúdos digitais de museus!

  2. Estranho.

    Geralmente o uso de um televisor para acesso é mais para multimídia (streaming de vídeos e músicas). E também teria que avaliar se o acesso propriamente dito é de televisões ou de equipamentos ligados as mesmas (lembrando das TV-Boxes, Chromecasts e similares).

    Aí muda tudo de figura. Se é entendido o acesso a internet como “tudo” ligado a comunicação via www/tcp/udp e etc técnico que nem eu mesmo domino tudo, então abrange demais algo que terá que começar a ser segmentado – tipo, quantas pessoas usam a TV para acessar o banco, entrar no Word (vamos usar o “vulgar” aqui) e quantas usam (ou quais momentos o é feito) para consumo de streaming de entretenimento (YouTube, Netflix, Spotfy, etc…)?

    1. Realmente acho que não é apenas coincidencia este crescimento no uso de internet em TVs se correlacionar tão bem com o boom dos serviços de streaming, provavelmente a maioria destes dispositivos deve ser apenas pra consumo disso mesmo.
      O estranho é que tanto TV quanto computador, em geral, dependem de uma linha de internet (que em geral é bem mais caro que a internet no celular) mas (talvez falando de um ponto de vista muito da minha bolha) não imagino como alguém contrata uma linha de internet pra acessar pelo televisor e não tem um computador que faça o uso dessa mesma linha.

      1. Digo por experiência: na verdade hoje as pessoas estão mais pelo celular do que pelo PC comum ou notebook. No caso de celular, é redes sociais, compras ou algo bancário (“mandar pix” virou mania e bordão).

        Ah! De um ponto de vista de periferia, na verdade internet em casa é mais barato que de celular, pois em casa não tem limite de downloads, e é usado por mais de um equipamento ou pessoa. Basta por a senha da internet.

        No do celular, tem limite de download e usar a internet de um celular próprio em outro equipamento muitas vezes dá algum trabalho – as pessoas não são muito adeptas de aprender algo “técnico”(configurações básicas) e preferem algo que seja totalmente prático, de poucos cliques. E como configurações variam entre aparelhos (icones e posições), as pessoas acabam “com preguiça”.

      2. Seu comentário me fez pensar e me toquei que na casa da minha vó tem banda larga e eles não tem PC e nem smart TV, hahaha. É só pra celular mesmo e os ocasionais visitantes (aka, meu primo) que trazem notebook.

        Mas o Ligeiro resumiu bem: é mais barato que internet móvel, mais estável e mais prático.

        1. Há lugares que a mensalidade de uma fibra ótica de 30 mbps é em torno de R$ 50,00 (com limitações e compartilhamento de IP). Então de fato sai barato quando se fala em mais barato.

          Mas ainda há lugares que usa-se ADSL (tipo Vivo Speedy, marca local em SP) e paga em torno de $ 80 em 8mbps ou menos. Há exceções de lugares com VDSL, mais rápida. Na mesma faixa de preço.

          Onde resido, pago $ 80,00 em 30 mbps. Para mim está ok, troquei a internet no início da pandemia e compensou (antes era 80 +70 da Vivo ADSL e telefonia fixa).

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário