Anúncio Black Friday: Assine a NordVPN com 72% de desconto
Após anos de estudo, acredito que criptomoedas são uma tecnologia inerentemente de direita, hiper-capitalista, construída principalmente para ampliar a riqueza de seus proponentes através de uma combinação de evasão fiscal, relaxamento da supervisão regulatória e escassez imposta artificialmente.

— Jackson Palmer, cofundador da Dogecoin.

No Twitter, Jackson escreveu uma respostas aos constantes questionamentos a respeito do seu retorno ao mundo das criptomoedas. “Um ‘não’ do fundo do coração”, escreveu antes de detalhar os motivos.

Deixe um comentário para ytrewqbvcxz Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 comentários

  1. Fácil para um co-fundador de uma shitcoin sem fundamento algum dizer isso, enquanto há sim outros projetos de crypto interessantes e bem fundamentados como Cardano e Monero.

    1. Quais seriam os fundamentos desses outros projetos? (É uma pergunta genuína; para mim, todas as criptomoedas caem no mesmo balaio da Dogecoin, independentemente de como ou para que foram criadas.)

  2. Agora tá assim.. Se algo vem ou é apoiado por um determinado espectro político, já basta para o outro lado começar a desmerecê-lo. Vejo isso nos dois lados.. Tá difícil!

    1. Tudo na vida tem “lados”. O problema é que quem está “no muro” não sabe se impor…

      :p

      1. Estar em cima do muro não deixa de ser uma posição…
        A visão das coisas ficou simplista, rasteira demais, com base naquilo que falei.

        1. Não é “tão simples”.

          Uma coisa que não discordo é que há falhas na esquerda – principalmente em educação política. Geralmente falo mais de tentar gerar a tão esperada “massa”, que seria a população com senso crítico apurado que apoie as visões de quem é de um espectro político mais voltado ao social.

          Nisso, a direita hoje se apropriou desta questão de “fazer massa”, pois diferente da esquerda que busca tentar ao menos simular uma moral perfeita (algo difícil), a direita não está nem aí, apenas quer fazer as pessoas serem capitalistas, consumistas e egoístas…

          1. Terrível generalização. Quando fala da “direita” (que direita? há várias vertentes que pendem à direita) que não está “nem aí, apenas quer fazer as pessoas serem capitalistas, consumistas e egoístas” não está falando da direita, está falando do capitalismo selvagem impulsionado pelo estado atual de social-democracia e desenfreada violação de privacidade imposta por governos e conglomerados. Isto nada tem a ver com “ser de direita” — muito pelo contrário, na verdade é até mais próximo da esquerda que, no geral, acredita em governos “sugar daddy”.
            Tu erras da mesma maneira quando fala da “esquerda” tentar simular uma “moral perfeita”… moral perfeita para quem? E qual esquerda?

            Tu és muito ingênuo (e não falo isso como insulto) se acredita que qualquer lado político se preocupa em manter uma “moral perfeita” numa sociedade suja como a do século XXI. É nítido que a cada ano que passa esquecemo-nos mais das tradições e nos aproximamos do esgoto. E isso é impulsionado pelos atuais governos de social-democracia desde o fim da primeira guerra mundial.

          2. Então @Rodka, fiz o comentário meio que como uma provocação.

            Quando falo que a esquerda (o lado do espectro político que defende mais relações sociais harmônicas e menos conflitos – isso em uma visão minha e sei que posso estar errado) tenta simular uma “moral perfeita”, é no sentido que parte desta esquerda que defende tal moral não quer negociar ou estar do lado da direita ou centro-direita, alegando N motivos (vários justos, como as brigas por terra e definição do conceito de propriedade por exemplo, e outros nem tanto como a moralidade política e a corrupção – uso de verbas, fuga de regras, etc…), e no final acaba no mesmo arcabouço (indo de encontro ao seu comentário) – com algumas acusações de corrupção, negociações com outros partidos, etc… quando não tendo seus próprios fantasmas ainda não enfrentados, como a defesa a ditaduras e ausências de críticas a si mesmo (além de uma melhor definição a si do que seria esquerda, dado que noto que não há uma definição clara – se fala de esquerda hoje, muitos vão associar a PT, Cuba, Venezuela e por último MST e PSOL. Não há trabalho de contrapropaganda.).

            No caso da direita (no que entendo – e posso estar errado – é um espectro político que não se importa com conflitos entre pessoas, e defende menos harmonias e mais conquistas a quem “tem mérito”), o problema é que não se vê hoje alguém que esteja bem mais próximo de um “centro”, apenas só vendo o circo pegar fogo no Brasil. E quando falo sobre “nem aí, apenas quer fazer as pessoas serem capitalistas, consumistas e egoístas”, o link aí já diz tudo.

            Hoje estou quase a situação que eu tinha em mente há uns 10-15 anos atrás. Apesar de hoje eu entender um tequinho melhor (e de fato sim, sou ingenuo mas nem tanto) de política, ainda tenho problemas em me definir plenamente em que lado do espectro político estou. No entanto, hoje tenho mais propensão a ser “de esquerda”.

          3. @Rodka

            sério?

            você conseguiu, falando pouco, falar muita bobagem

    2. você sugere existir uma suposta simetria e uma igual validade entre proposições de “direita” e de “esquerda” (entre muitas aspas, é claro)

      a questão é: não há simetria nenhuma

      ao alegar se tratar de uma proposta de “direita”, o que se denuncia é a posição da coisa no contexto da luta de classes, assim como suas consequências: tal coisa necessariamente vai privilegiar mais ricos que pobres

      e isso é inegavelmente condenável: não há nada que se possa aproveitar disso

      e olha que nem entrei nos argumentos citados, que por si só são relevantes: sonegação, evasão, etc

  3. Isso fica particularmente evidente quando analisamos o perfil dos “evangelistas” das criptomoedas. É fato, existem lugares que viram nas criptomoedas uma saída a instabilidade monetária de seus países, visto na [África](https://www.un.org/africarenewal/magazine/june-2021/crypto-currency-adoption-africa-ups-and-downs) (e particularmente na Nigéria) e brotou coisa parecida até em [El Salvador](https://www.reuters.com/business/el-salvador-keep-dollar-legal-tender-seeks-world-bank-help-with-bitcoin-2021-06-16/). Ou você depende de uma moeda digital ou depende do dólar.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário