Fundo azul, com uma chamada para um PlayStation 5 no centro. À esquerda, a frase “Ofertas de verdade, lojas seguras e os melhores preços da internet.” À direita, “Baixe o app do Promobit”.

O experimento do celular Android “degoogled”

Galaxy S9 com o /e/OS na tela inicial. Ao fundo, uma colcha colorida desfocada.
Foto: Rodrigo Ghedin/Manual do Usuário.

O pessoal da e Foundation, da França, gentilmente emprestou um celular com o /e/OS instalado para eu testar até o fim do ano. O /e/OS é uma versão do Android “degoogled” ou “degooglado”, ou seja, sem software nem serviços do Google.

Faz uns seis anos que não uso o Android, e uns bons anos que não uso o sistema, então será um experimento… curioso. E com a sua ajuda, ainda mais! Meu principal objetivo é descobrir se dá para usar numa boa um celular que não tenha vínculos com o Google ou com a Apple. Você pode ajudar de duas formas: 1) tirando dúvidas e fazendo questionamentos, e; 2) me ajudando — afinal, tem um bocado de coisas que não sei. Os comentários estão aí para isso.

Deixe um comentário para Marcel Cancelar resposta

Seu e-mail não será publicado. Dúvidas? Consulte a documentação dos comentários.

55 comentários

  1. Boa sorte quando precisar de um mapa e de um tradutor. Não achei nenhum app que chegue perto da facilidade de uso e das funcionalidades dos apps do Google. O osmond, que é sugerido,é horrível. Passei um mês com o CalyxOS, rodando em um Pixel 5, que aliás é um lixo…

      1. O CalyxOS é ótimo. O Pixel 5 é que é muito ruim… Hardware fraco, tela pouco responsiva, um lixo. 🤷🏽‍♂️
        Aqui no Japão nem o Mapas do iOS é tão bom. Alterações de trajeto em andamento, localizar estabelecimentos comerciais, como farmácia e/ou lojas de conveniência, tudo isso me prende ao Google Maps.

        1. Realmente, quando se trata de localizar comércios ainda não vai ter outra opção por um bom tempo. Quanto ao OpenStreetMap, pretendo subir um morro que tem perto da minha casa, que é um dos pontos mais altos da minha cidade (350 metros mais ou menos). No Google Maps, não tinha um trajeto pra subir no morro, Mas no OSM tinha. Aí vou me orientar no modelo do OSM.

  2. Saudações a todes.

    Tô vivendo essa vida desgooglificada fazem alguns meses e quando vi vc comentando que vai experimentar eu achei que podia trazer algumas experiências e opiniões.

    Tenho um Nexus 5X (6 anos de serviços!) e desde que ele deixou de receber atualizações oficiais da Google passei a usar ROMs alternativas nesse dispositivo. Essa não foi minha primeira experiência: ando nessas terras desde 2011 quando comprei meu primeiro aparelho Android.

    O que diferencia essa minha instalação do Android para as demais é que, pela primeira vez, não estou usando nenhum pacote dos componentes do Google (gApps) ou algum alternativo como microG.

    Fazem anos que venho migrando os serviços e plataformas que utilizo no meu dia a dia. Deixei de usar Google Drive e Docs a anos, deixei de usar Google Photos no momento que a Google anunciou que ia deixar de ser ilimitado, e assim foi também com outros muitos produtos da empresa. Nesse processo eu fui adotando outras aplicações e serviços.
    Mas sempre com muita paciência e prudência. Não dá pra deixar de trabalhar porque não vai mais usar uma aplicação ou plataforma ou serviço; mas dá pra preparar os próximos trabalhos pra não depender mais de um ou outro serviço, ou que suporte alguma aplicação de terceiros pra alguma etapa. e aí num projeto posterior dar mais um passo… já viu pq disse que tô nisso a alguns anos e só agora tô indo pra desgooglificação completa, né?

    Eu não acredito que essa seja uma tarefa pra encarar como tendo um objetivo final. Acredito que é um projeto complexo, com diversas tarefas e etapas, e que, antes de tudo, precisa ser encarada como um processo. Porque se a intenção é não usar produtos do Google (e pra mim também não usar produtos da Microsoft, Apple, Amazon, Alibaba…) então é algo que não tem fim porque novos produtos continuarão surgindo dessas empresas, continuaremos trabalhando com pessoas que não compartilham conosco desses mesmos objetivos e comprometimentos poderão ser necessários no caminho.

    E aí eu toco num ponto que tenho começado a aceitar nas últimas semanas: talvez aceitar alguns desses produtos dessas empresas pode ser necessário. E tá tudo bem!

    Meu regime de aplicativos hoje tem foco no que tem disponível no F-Droid e, quando não há alternativa viável, uso o Aurora Store pra instalar da loja da Google usando uma conta anônima. (Fiz as pazes comigo mesmo e aceitei que muitos dos produtos que eu comprei naquela loja provavelmente nunca mais terei acesso)
    Então, por exemplo, tenho o Telegram FOSS instalado via F-Droid e Signal via Aurora Store. O Signal tem APK disponível no site mas eu acho que é mais importante ter o software sempre atualizado que não usar a ponte da Aurora Store e obter logo que é publicada uma atualização. E entre ter o Telegram atualizado assim que a equipe do produto disponibiliza na loja da Google e a mesma versão compilada pelo projeto F-Droid alguns dias depois sem nenhuma peça ligada ao Google Cloud Message (GCM), eu prefiro esperar uns dias a mais. Não ter o último pacote de emojis por alguns dias não é prioridade! :)

    Pra fechar essa mensagem que já tá longa, algumas das aplicações que uso no meu dia a dia, que vêm da loja da Google e que muita gente pode pensar que não vai funcionar porque não tem os componentes Google:
    – NuBank: as vezes me pede pra eu permitir acesso à localização mas eu não forneço. fora isso, o aplicativo funciona sem nenhum problema.
    – Signal: reclama que não tem o suporte do GCM no sistema, fixa um ícone de notificação (chaaaato!) pra manter o aplicativo em segundo plano e receber notificações push e funciona bem.
    – Steam: eu só uso pra ter o Steam Guard mas funciona muito bem pra navegar, assistir vídeos dos jogos e dos usuários, comprar na loja, mandar presentes… enfim, nunca encontrei nenhum problema.
    – Banco do Brasil: esse eu não uso mais mas quando tinha funcionava tudo. Era mais um que reclamava que eu não dava permissão de acesso à minha localização. Reclamava e funcionava.
    – 99 e Uber: também não tenho mais instalado (pandeimia, fica em casa e saí andando ou vai de bicicleta) mas funcionavam muito bem também. Esses eu dava permissão de acesso à localização pro uso facilitado da aplicação (nem é preciso, relembro) e imediatamente depois eu revogava.
    – iFood e outros aplicativos de entrega: também não tenho mais instalados mas removi a muito mais tempo atrás porque só tinha uso pra esses aplicativos quando estava em casa e pra isso o site funciona bem.

    Espero que tenha ajudado alguém ou elucidado algo mais.

    Grande abraço!

    1. Tiago,
      Muito obrigado pelo seu comentário! Iniciei esse processo de desgoogliação esse ano, e foi muito útil ter essa visão de alguém que já está nessa rota a mais tempo! Me preocupava muito com essa questão dos apps de banco, steam e etc. e você me deixou mais confiante para dar o próximo passo.

      Abraço!

  3. Pra quem não tem um aparelho compatível com o /e/OS, qual a forma de tornar o seu aparelho Android comum o mais “degooglado” possível?

    1. Eu partiria primeiro pra simplesmente começar a deixar de usar os serviços e aplicações.
      Faz um a um, com calma. Como alguém disse aqui, é cultural e uma mudança grande é mais difícil pra conseguir manter.

      Daí vai desinstalando o que não usa mais (ou desabilitando o que não pode ser desinstalado) e aos poucos vc vai notando que o Google vai sumindo da sua lista de aplicativos.
      Se quiser vai também já dando preferência pra softwares livres no catálogo da F-Droid (se quiser e se for possível pro que vc usa).

      Em algum momento vc vai ver que pode deixar de usar os serviços de componentes e bibliotecas da Google, daí já pode pensar em trocar a ROM por uma que te dê essa liberdade.

      AHHH, se seu telefone atual não tiver nenhuma ROM alternativa disponível não tem problema. Pensa que esse pode ser um critério para a compra de seu próximo aparelho: tem uma comunidade desenvolvendo ROMs alternativas pra o aparelho se planeja comprar? tem ROMs alternativas já desenvolvidas? o que dizem os usuários dessas ROMs sobre o uso diário delas?

      Fica o link do fórum que uso sempre pra pesquisar:
      https://forum.xda-developers.com/

  4. Imagino que ele já venha com o Fdroid (um “Google Play” só com free software)… mas fora isso, a questão é como você usa seu celular… Não há nenhuma dependência do google que não seja cultural (leia-se, preguiça de ler manuais)…

    Mantenha-nos informados sobre a experiência e, mais importante, como seria possível adquirir um desses aqui na banalândia!

  5. Olá Rodrigo!

    Como seria o uso para aqueles que não são entusiastas em tecnologia? Aquele tio/mãe/parente que pede para um sobrinho configurar e usa no “automático”?

    1. É uma boa dúvida, Marcel! Com certeza mais complicado, porque várias coisas não são muito óbvias — por exemplo, o papel do Google em apps comerciais e como driblar a ausência do Google Play Services. Bah, até a obtenção do próprio sistema! A e Foundation não vende para o Brasil, então só resta instalar a ROM — ou o LineageOS, outra ROM que pode ser “degoogled”. Essa primeira barreira já é enorme.

  6. Há vários pontos interessantes.
    Salva dados como e-mail, senhas, nomes, na hora de preencher cadastro?

    A bateria teve alteração na duração ou carregamento?

    O telefone tá normal ou reinicia sozinho?

    Câmera apresenta algum erro?

    Aceita todos os apps normalmente ou teve alteração?

  7. Seria legal fazer um paralelo do seu workflow diário, comparando iOS com Android sem Google.

    Por aqui, uso bastante os atalhos

      1. Ambas as opções.
        Vale a pena dar uma pesquisada e eventualmente contratar algum curso se achar q vale pra vc.
        Eu curti muito. Da pra adiantar muita coisa.

  8. Boa tarde!
    Coisas cotidianas, como volume do áudio em chamadas, reconhecimento da digital, funcionamento da câmera e agenda me chamam a atenção… como será que estes itens vão se sair?

  9. Me lembro do alvoroço que foi o lançamento da iniciativa que culminou com essa fundação pq era “o novo projeto do Gael Düval, o criador do Mandrake Linux”.

    Entendo que no geral é relativamente simples manter um celular Android degoogled. Por exemplo, os aplicativos do Simple Mobile Tools, que você já escreveu sobre [1], já resolvem várias necessidades.

    No meu caso como tenho uma instância própria do Nextcloud, uso vários apps “de nuvem” no meu celular que se comunicam com essa instância. Por exemplo, sincronizar agendas e contatos via DAVx⁵, cliente do Nextcloud para sincronizar arquivos, anotações via Nextcloud Notes, favoritos via Nextcloud Bookmarks, e outros.

    Para e-mails tem o K-9, mensagens instantâneas tem clientes XMPP e tmb o Telegram. Para várias redes sociais existem clientes alternativos livres. Esses aplicativos podem ser encontrados na F-Droid.

    O problema ao meu ver são aplicativos de banco e aplicações proprietárias de consumo de mídia, tipo Spotify e Netflix. Aí ou procura versões deles em lojas proprietárias alternativas, tipo a da Amazon (que é basicamente cair da panela pro fogareiro, se a ideia é deixar de depender de uma big tech), ou é viver sem mesmo.

    [1] https://manualdousuario.net/simple-mobile-tools-apps-android/

    1. Sobre os apps de banco, não tem muito o que fazer mesmo, os argumentos são realmente válidos quanto a não funcionar em aparelhos rooteados.

      Nesse caso, o ideal é ter um segundo aparelho e usar como se fosse aquelas “maquininhas de pagamento”

    2. Não seria possível instalar esses aplicativos proprietários como Netflix, Spotify (e mesmo o WhatsApp) instalando diretamente pelo arquivo apk?

        1. Vi alguns comentários aqui sobre aplicações de streaming e como tenho acesso a 3 dessas plataformas resolvi testar.

          Obtive sucesso em reproduzir na Netflix e na Amazon Prime Video. Nenhum empecilho, nenhum trabalho extra, nada. Só baixar o aplicativo pela Aurora Store, abrir a aplicação, logar, escolher o conteúdo e reproduzir.

          Já a HBO Max não funcionou. Logo após abrir o aplicativo mostra uma mensagem de que é necessário ter os componentes do Google instalados e há apenas um botão OK que fecha a aplicação.

  10. Qual a diferença entre um aparelho deles e instalar o /e/OS em um aparelho Android?

    (Talvez essa resposta esteja no site deles, mas ainda não tive tempo de investigar a fundo.)

    1. Nenhuma. Bom, vem numa caixa legal e com uns adesivos da e Foundation, mas, fora isso, é só um celular comum com a ROM deles. (No caso aqui, recebi um Galaxy S9+.)

      1. Uma coisa interessante seria ver o funcionamento da câmera, assim como duração da bateria, além do q já comentaram: App de banco

  11. pessoal já fez as perguntas que queria fazer

    mas queria ver o uso da bateria, quando tiver pra zerar tira um print pra ver os processos que gastam a bateria

  12. Da para usar tranquilamente. Se precisar dos serviços da google, usa o microg que já vem pré-instalado.
    Apps que eu sei que funcionam: Bancos (nubank e inter é certeza, outros não testei mas acredito que funcionam sem problemas). Mensagens (Telegram, Signal, o whatsapp funciona porém não da para usar o backup do drive. Mapas, eu não testei o google maps, uso o Osmand, que é incrível. Vídeos, uso o NewPipe, frontend excelente para o YouTube, tem o Vlc q roda tudo. Ifood, uber e outros serviços de entrega, funcionam normalmente. Redes sociais tbm, sem problemas (instagram, facebook e twitter).
    Ah, para baixar apps da playstore é só usar a AuroraStore, além do famoso F-Droid.

    1. Eu tenho um celular degooglado. Sem microg um dos apps de banco (que eu testei) que funciona normalmente é o do BB, salvo pelas notificações push.

  13. Seria interessante testar apps de streaming como Netflix, Globoplay. Eu não gosto de assistir em celular, mas muita gente faz isso.

  14. Só preciso de poucos serviços como telegram, whatsapp e mapas (tranquilo sem a play store)
    Apps de banco funcionam?
    Acho que não dependo muito do Google para acessar minhas coisas.

  15. Eles criaram alguma alternativa pra apps que exige o uso de Google Play Services, Google Mobile Services, etc…?

    Esse telefone deve funcionar exatamente igual ao Windows Subsystem for Android sem fazer o sideload da PlayStore. E mesmo com sideload da PlayStore, tem diversos apps que só funcionam se tiver GMS.

  16. Desde que conheci o F-Droid fico pensando possibilidade de ter um smartphone sem os serviços do google. Vai ser legal acompanhar esse experimento :D

    1. Esses apps dependem dos serviços do Google. Existe um projeto independente, o microG, que implementa algumas APIs do Google de modo privado. O /e/OS oferece suporte nativo ao microG (opcional). Vou ativá-lo e com certeza responderei essa pergunta no texto final.

      1. Opa! Eu utilizo o CalyxOS em meu mobile, um Xioami MIA2. Só alegrias. Existe o aurora store para baixar apps fora da play store, e o microG para fazer integração com apps que dependem de servicos Google. O grande lance está em de fato nós não precisarmos desses apps.

Compre dos parceiros do Manual:

Manual do Usuário