Logo da Insider à esquerda e a frase à direita: “Use o cupom MANUALDOUSUARIO12 e garanta peças básicas de qualidade com desconto”.

Barinsta, um app alternativo de Instagram, de código aberto, para Android

Você ainda usa Instagram (eu larguei)? O Barinsta é uma boa alternativa de código aberto para Android. Transcrevo a descrição do projeto:

Se você não publica posts ou stories no Instagram, mas ainda tem que usá-lo para manter contato com pessoas e conteúdos, agora existe uma alternativa: o Barinsta é um belo aplicativo para usar o Instagram, removendo a maioria das chateações [do app oficial] (anúncios, sugestões, abas inúteis) e te dando mais controle sobre os seus dados.

É possível usá-lo até sem conta/fazer login, embora assim a experiência fique mais limitada. Além de não permitir postagens, outra limitação sinalizada pelos desenvolvedores é a impossibilidade de se criar “threads” nas mensagens diretas.

O Barinsta é gratuito e está disponível na loja de apps F-Droid (não conhece? Leia isto).

Aplicativos alternativos não costumam ser bem vistos pelo Instagram, então use o Barinsta por sua conta e risco. Os desenvolvedores pedem apenas para que ele não seja usado com VPNs, porque o Instagram vê variações no IP como ação de robôs. Tudo indica ser um app seguro (caso contrário não o divulgaria aqui), mas vale sempre o aviso: use-o por sua conta e risco.

Deixe um comentário para Euclides Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 comentários

  1. Em vez de usar um aplicativo de terceiros por conta em risco, porquê não simplesmente digitar instagram.com e utilizar no navegador do celular?
    Além de ser a plataforma oficial, é menos limitada, sendo que dá até pra fazer postagens (que são menos rebuscadas porque não tem recursos avançados de câmera). Fora que dependendo do navegador também da pra bloquear os anúncios.
    Se alguém não sabia dessa possibilidade, eu acho que é uma das melhores alternativas.

    1. Eu faço algo parecido. Tenho uma conta lá só com as pessoas próximas e uso o feed RSS para acompanhar contas de instituições ou de pessoas “””famosas”””. Não uso o app, apenas pelo navegador.

        1. Eu uso a extensão Feedbro (existe para Firefox e Chrome). Você entra na página do Instagram que quer seguir e clica na extensão, e lá você seleciona “find feeds in current tab” (encontrar feeds na aba atual). A extensão vai procurar o feed da página e basta clicar em “subscribe”. Quando houver alguma atualização, a extensão te avisa, e você consegue visualizar o conteúdo dentro dela mesmo. Dá pra fazer isso com qualquer site que use RSS. Faço isso com contas do Twitter, comunidades do Reddit (subreddits), canais do YouTube e com sites que visito, incluindo o Manual do Usuário. :)

    2. É difícil bloquear elementos de domínios do Google e do Facebook porque eles não dependem de terceiros para coletar de dados e exibir anúncios. Eles são “first-party”, ou seja, é o próprio Google e o próprio Facebook que coleta os dados nos sites do Google e do Facebook. Se você bloqueia anúncios ou outros elementos indesejados, corre o risco de bloquear o serviço em si.

      Aplicativos como o Barinsta, o Invidious (YouTube) e Tweetbot (Twitter) se apegam ao essencial desses serviços e removem todo o resto indesejado. Não só os códigos de rastreamento e anúncios, mas também códigos pesados, clickbaits e outras distrações. É notável como a experiência neles é melhor. Há o risco e a instabilidade (o Invidious vira e mexe quebra devido às alterações frequentes que o Google faz no YouTube), mas os acho alternativas super válidas para quando não dá para abandonar os serviços.

      1. Pelo menos aqui o uBlock Origin bloqueia muito bem os anúncios do Youtube, não percebo nenhum problema usabilidade. Já no Instagram nunca nem me aparecem anúncios na versão para navegador, mesmo sem adblock. Não sei o motivo. Mas, sim, os rastreadores são mais difíceis de bloquear nesses casos. Serviços como o Google Drive e o Google Meet não funcionam bem aqui com o bloqueio de rastreadores.

        1. Acho que o Ghedin não fala disso, e sim de bloqueios a terceiros via API. Por exemplo, existem alternativas para essas redes (Bibliogram e Nitter). Contudo atualmente estão todas bloqueadas totalmente ou parcialmente por conta das constantes mudanças no modo como se acessa as informações nas redes (IG, Twitter e YT), impedindo que qualquer um usa alternativas mais livres do que a oficial.

  2. O Instander era um front-end razoável também. A pegada é mais parecida com a do aplicativo original, mas tem várias modificações. Não me recordo se pode ser usado sem conta como o Barinsta (o que é MUITO útil).

    https://thedise.me/instander/

    Novamente, use por conta e risco.

  3. Uma coisa que eu sinto falta em todas as redes sociais do Facebook é poder organizar as contas que eu sigo em múltiplas timelines. Coisa que o Twitter e o Telegram permite fazer, por exemplo. E sim, eu sei que dar mais controle da timeline aos usuários é algo que o Facebook está longe de fazer. Enfim, o Barinsta permite fazer isso?

    1. Não é uma função do app Diogo. Aliás, até a Timeline nele não tem cara de timeline, se aproxima da exibição de um app de galeria de fotos. Carregando mais por página e mostrando os textos só se clicar… o que particularmente acho muito bom pra ter uma visão mais geral dos conteúdos sem perder muito tempo.
      Mas essa visão segmentada por timelines é uma boa… acho que vale a pena criar um PR ou encaminhar ela pro pessoal que desenvolve o app.
      Uso o Barinsta desde quando o nome era Instagrabber e era quase impossível de usar devido aos bugs, rs. Hoje está muito bom e recomendo.

    2. O Facebook já teve isso. Lembra quando o Google+ saiu, com aquele esquema de “círculos”? No Facebook havia listas, e dava para acessar o feed de cada lista. Era uma mão na roda mesmo.

      Desconfio que essas listas sejam menos “engajantes” que o feed tradicional, algorítmico, logo não é do interesse do Facebook oferecê-las. Essa suspeita tem fundamento, ainda que pessoal/só eu: desde que troquei a timeline principal do Twitter por uma lista com menos gente, acessada só pelo Tweetbot, passei a usar bem menos o Twitter.

  4. Eu só uso o Instagram porque às vezes não tenho o número de celular da pessoa que preciso conversar, então acaba sendo mais fácil procurar a pessoa lá do que sair perguntando pros meus contatos se alguém tem o número dela. Não fosse isso, eu já teria deletado a minha conta.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário