O que há de novo no iOS 9.3

Night Shift no iPhone 6s.

Junto ao anúncio do iPhone SE e do iPad Pro de 9,7 polegadas, a Apple liberou, também, a versão final do iOS 9.3 e uma atualização pequena para o El Capitan. O que muda? Vem comigo que eu te mostro.

O iOS 9.3 é uma atualização tida como grande, mas para uma assim o número de novidades é bem minguado. A maior delas é o modo Night Shift, que “amarela” a tela à noite para que o uso do smartphone ou tablet não atrapalhe seu sono.

Quem conhece o f.lux, um app gratuito para Windows e OS X, sabe do que se trata. Criado por ex-funcionários do Google, o f.lux se baseia em estudos como este para justificar a remoção do tom azul das telas quando o Sol se põe. Ele sugere que essa tonalidade tipicamente emitida pela luz das telas suprime a produção de melatonina, hormônio responsável por regular o nosso ritmo circadiano, ou seja, quando temos sono ou não. Ao sermos expostos a essa luz azul antes de ir para a cama o nosso organismo fica zoado e dormir se torna mais difícil.

Novo botão do Night Shift na Central de Controle.

A Apple embutiu o recurso, batizado aqui de Night Shift, no iOS 9.3. Ele é, em grande medida, idêntico ao f.lux, que até chegou a funcionar no iOS via sideloading, mas teve a sua distribuição suspensa por exigência da Apple. No Android, onde está disponível, o f.lux exige rooting para funcionar. Curiosamente o Lux, uma alternativa mais antiga ao f.lux no sistema móvel do Google, dispensa a gambiarra.

Voltando ao iOS 9.3, ao instalar essa versão a Central de Controle ganha um novo ícone, central, na fileira inferior. Nos Ajustes, algumas configurações relacionadas ao Night Shift podem ser feitas em “Tela e Brilho”. Lá dentro, o usuário pode definir a ativação agendada do recurso, ativá-la manualmente e ajustar o grau de intensidade do efeito na tela.

Tela de configurações do Night Shift.

Usei ontem o Night Shift, configurado para entrar em ação no pôr do Sol e sair de cena no nascer dele, e é o que se esperaria de algo assim. A mudança é gradual e agradável, salvo quando se consome conteúdo sensível a cores como vídeos e fotos, por exemplo. Para esses casos, acesse a Central de Controle e desative temporariamente o Night Shift.

Fora isso e embora me seja impossível determinar se foi útil ou não na hora em que fui me deitar (não tenho insônia), o Night Shift apenas funciona, o que, nessas circunstâncias, é um elogio.

Outra grande novidade das poucas do iOS 9.3 está no app Notas. Agora, dá para trancar algumas e liberá-las apenas mediante uma senha ou biometria, via Touch ID.

A forma como isso acontece é bem sacada: o Notas não bloqueia todas as notas, mas dá ao usuário a opção de bloquear algumas específicas, com conteúdo mais sensível. A senha é a mesma para todas essas, que passam a ser identificadas por um cadeado, na listagem, à direita. As notas liberadas com a senha/Touch ID podem ser trancadas novamente com um toque nesse cadeado ou desligando a tela do dispositivo.

As etapas para se proteger uma nota no Notas.

Ainda no Notas, agora é possível alterar a ordem delas segundo três critérios: data da última edição, data da criação ou alfabética. Até o iOS 9.2, elas só eram listadas pela data da última edição. A configuração da senha e da ordem fica no app Ajustes, e não no Notas mesmo.

Sugestões de apps no Saúde.

Há novidades no app Saúde, também. Além de mudanças sutis nos gráficos, agora a aba “Dados de Saúde” dá sugestões de apps que ajudam a coletar e analisar mais informações sobre diversas áreas, de nutrição ao sono, passando por medidas corporais e até “saúde reprodutiva”.

Ah, alguns apps padrões da Apple, como Ajustes, Saúde e App Store, ganharam suporte ao menu de contexto do 3D Touch.

As demais novidades ou não estão disponíveis no Brasil, ou ficam fora do alcance da maioria. No primeiro grupo estão refinamentos no Apple News, o app de notícias da Apple ainda não lançado aqui, e aperfeiçoamentos em ferramentas para se usar o iPad em ambientes educacionais, incluindo um novo app, o Classroom, para professores, e suporte a vários usuários num mesmo tablet — algo que seria útil para além da sala de aula. Disponível no Brasil, mas fora do alcance da maioria, as melhorias no CarPlay, que agora sugere músicas e artistas para o Apple Music e apresenta pontos de interesse úteis pelo Mapas.

O que há de novo no OS X 10.11.4

Bloqueio do Notas no OS X.

No Mac, a nova versão do El Capitan replica as melhorias do Notas, ou seja, no computador também passa a ser possível alterar a ordem das anotações e protegê-las por senha — e aqui a falta de um equivalente ao Touch ID se faz sentir. Para quem usa Evernote e quer dar uma chance ao Notas, a Apple acrescentou um importador embutido. Fica em Arquivo, Importar Notas…

Outras novidades incluem o compartilhamento de Live Photos entre Macs e dispositivos iOS via AirDrop ou Mensagens e a capacidade de guardar arquivos PDFs na nuvem através do iBooks, tornando-os acessíveis em qualquer dispositivo Apple conectado.

Algumas correções e as promessas de praxe (“melhora a estabilidade, compatibilidade e segurança do Mac”) fecham o rol do que há de novo. Entre elas, porém, vale citar uma que deixava frustrado todo mundo que usa Twitter e navega pelo Safari: a correção do bug com links encurtados pelo t.co. Na versão anterior a maioria dos cliques nesses links demorava séculos para abrir no navegador da Apple. Agora, não mais.

https://twitter.com/ghedin/status/657310451307540480

Todas as atualizações são gratuitas. O instalador do iOS 9.3, no iPhone 6s, tem 310 MB e mesmo baixando-o ontem logo após a liberação, o download foi rápido e a atualização, tranquila. Ela está disponível para todo iPhone a partir do 4S, todos os tablets da Apple a partir do iPad 2 e com a quinta e sexta gerações do iPod touch. Alguns recursos não estão disponíveis em todos os dispositivos; o Night Shift, por exemplo, só funciona no iPhone 5s em diante, no iPad Air/mini 2 para frente e no iPod touch de sexta geração.

No Mac, o update do El Capitan requer um download de 1,5 GB. Baixei a tampa do MacBook Pro ontem e, hoje, quando acordei, o sistema se ofereceu para instalar — os arquivos tinham sido baixados à noite, com o notebook “dormindo”, graças ao Power Nap. A exemplo do iOS, aqui também o processo foi rápido e indolor. Não notei, até o momento, nenhum problema mais aparente ou traços de lentidão.

As atualizações são recomendadas.

Deixe um comentário para Bruno Cavalcante Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 comentários

    1. É até compreensível. O Night Shift deve exigir algum processamento extra para mexer nas cores e se a ideia do Economia de Bateria é ser agressivo nessa função, qualquer coisa supérflua que pode ser cortada para preservar carga assim o é. Não?

      1. É que, geralmente, o cidadão está com a carga no fim justamente à noite, quando o recurso seria útil. E não vejo como ajustar a temperatura da cor exigiria tanto processamento assim. Pra mim tornou inútil o recurso.

      2. É que, geralmente, o cidadão está com a carga no fim justamente à noite, quando o recurso seria útil. E não vejo como ajustar a temperatura da cor exigiria tanto processamento assim. Pra mim tornou inútil o recurso.

    2. Nem na CM12.1. É tenso estar usando o smart de madrugada com a tela amarelada e, quando entra na economia de bateria, vem aquele farol queimando os olhos.

    1. Por curiosidade, como está a experiencia de uso do iPad 2 no iOS 9.3?

      Tão boa quanto o iOS 7 ou igual ao ao iOS 8?

      1. Ainda não atualizei, e nem sei se vou pra falar a verdade. Não estou vendo muita vantagem.

  1. Essa opção de iluminação da tela há anos existe nas versões do Android AOSP e nunca foi incorporado pelo Android Oficial do Google.

    Até hoje não entendo porque tanta bobagem e aplicativos inúteis são frisados e incorporados e algo tão útil assim fica restrito a usuários de CyaonogenMod e outras versões independentes do Android. Infelizmente, uma grande pena.

  2. Vale lembrar que a Asus também oferece uma opção parecida ao Night Shift: o Filtro de Luz Azul, que fica dentro das configurações do “Splendid”, ou acessível através da barra de notificações. Não há como definir uma ativação automática, mas já quebra o galho.
    Eu costumo ativar mesmo durante o dia, acredito que “cansa” menos os olhos.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário