Câmera dupla do iPhone 7 Plus.

Guia Prático #96: O iPhone 7 não empolgou — e isso não é ruim


10/9/16 às 19h19

(Não se perca: este da foto acima é um iPhone 7 Plus!)

No programa de hoje, eu (Rodrigo Ghedin), Emily Canto Nunes e Paulo Higa falamos sobre o novo iPhone 7. Mesmo estendendo um pouco a duração do programa, ainda não deu para falar tudo, mas abordamos os tópicos mais importantes: a similaridade com o iPhone 6/6s, a remoção do conector de áudio de 3,5 mm, a nova cor Jet “não me olha que arranho” Black e o eterno dilema da bateria. Talvez se não tivéssemos falado tanto sobre iWork (!) e Apple Watch Series 2 no começo, teria sobrado mais tempo para os novos iPhones. Mas tudo bem, o papo ficou bom!

Se preferir, baixe o MP3 e ouça depois. E se você ainda não assinou o programa no seu player de podcasts favorito, faça isso via iTunes ou pelo RSS.

Links citados

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

24 comentários

  1. Emily, tô usando um par de earpods no Moto G4+ e eles vivem caindo da orelha. Você fez uma observação que eu não li em lugar nenhum, e pra mim os AirPods vão dar bem errado.

    Imagina os caras que como eu dormem no ônibus indo pra casa de noite…

  2. Eu discordo um pouco que o iOS não é mais eficiente que o Android no uso de bateria, especialmente depois de usar o iPhone SE.
    A bateria mudou muito pouco do 5s (e ainda veio um SoC bem mais poderoso) mas a duração da bateria dele é muito melhor, chegando perto do 6s Plus em alguns testes até. Eu duvido bastante que o Android teria uma duração tão boa com 1650mAh.

    O que não quer dizer que a duração da bateria dos iPhones esteja boa, em especial no modelo de 4.7″, que tem uma tela maior gastando mais bateria mas não tem o espaço a mais do Plus (e menos de 100mAh a mais que o SE)
    Um iPhone com os 3500 mAh do Moto Z Play seria bastante interesante, mas não consigo imaginar a Apple fazendo um iPhone significantemente mais grosso que seu antecessor (a não ser que venha com algo muito revolucionário como foi o iPad Retina)

  3. E ano que vem? Será que chega bateria de grafeno com carregamento via indução? Fim do botão home? Fim da numeração? (já que será o iPhone de 10 anos)

  4. Realmente , o calombo das lentes da câmera , mais baixa autonomia de bateria a meu ver tira a palavra Premium deste high end , o que salva é a perfeita integração hardware x software e uma política de atualizações de OS muito boa , quanto a câmera teremos que aguardar um bom review

  5. Se a apple pegasse o iPhone 6S e alterasse apenas 1 item (bateria 10~20% maior) e lançasse como iPhone 7 o lucro estaria mais do que garantido….

  6. Sobre os novos iPhones:
    Atualmente, já não acho tão relevante ter que mudar o design do iPhone com tanta frequência, o que não quer dizer que ele não precise de aperfeiçoamentos, sim, aperfeiçoamentos no design seriam muito bem-vindos, como a questão da ergonomia e da pegada que o Higa citou. O sofrimento da Emily com a bateria do iPhone é quase uma síndrome de quem possui iPhone, meus pais têm, e vejo a angústia diária deles em ter que recarregar 2 vezes por dia o aparelho. Já passou da hora da Apple melhorar a bateria dos iPhones, e não apenas “otimizar” o sistema que, como o Higa disse, gasta tanto como o Android.

    O que achei de mais interessante nos novos iPhones não foram as novas cores (gostei do jet black, mas ainda prefiro o preto fosco), nem a melhoria da tela, nem o novo botão Touch ID, mas sim as novas câmeras com nova abertura, e as 2 câmeras da versão Plus, com recurso teleobjetiva, que além do zoom óptico 2x, tem o recurso de alcance dinâmico que foca num objeto e desfoca o plano de fundo, recurso que a gente costuma ver em fotos macro ou em fotos registradas por câmeras DSLR. O iPhone sempre foi conhecido por ter uma das melhores câmeras do mercado, entretanto, nos últimos anos, a concorrência (Oi, Samsung) mostrou que sabe fazer melhor nesse aspecto. O Higa disse que não entendia porque a Apple mantinha uma câmera com abertura f/2.2 no iPhone, sendo que já haviam aparelhos da concorrência com abertura f/1.7 e 1.8; sim, eu também não entendia, pois parecia que a Apple estava numa inércia incompreensível.

    Acho muito ruim o fato da Apple diferenciar as câmeras das versões 7 e 7 Plus. Fica muito visível a estratégia de priorizar o lucro com as vendas de iPhones das versões Plus, forçando as pessoas que priorizam a câmera, comprarem a versão de tela maior pelo fato de poderem ter acesso aos novos recursos exclusivos. Todo mundo sabe que a Apple sempre foi e é muito lucrativa, mas parece que muda um pouco daquele discurso de “foco na experiência e satisfação do cliente” para o “foco nos lucros”. Seria legal ter um iPhone com tela de 4,7″ mas com a mesma câmera da versão Plus. Quem sabe no lançamento do iPhone 8 a Apple coloca a câmera dupla no modelo compacto, assim como fez ao implementar a estabilização óptica de imagem, que até então era um recurso exclusivo das versão Plus desde o iPhone 6.

    1. Eu achei que as câmeras poderiam ser melhores.
      Primeiro a “wide”, 28mm é muito pouco ângulo de visão, é uma lente padrão a tempos quando se olha para a concorrência. Os Xperia tem o maior ângulo de visão com 24mm.
      Segundo a “tele” não é tele, 56mm ainda é considerada uma lente “normal”. Se queriam dar destaque para fazer retratos com o aparelho deveriam ter feito uma câmera com um alcance maior, uns 80mm pelo menos IMG.
      O zoom iniciar é apenas a troca de uma câmera pela outra, e gostei de terem feito uma combinação que é o contrário do que a LG vem fazendo, com uma câmera padrão e a outra para paisagem.
      O desfoque é bobagem, se é por software não deveriam dar destaque, se deram então teria sido melhor colocar um sensor maior com abertura maior na lente. O S7 com o sensor e abertura dele tem um desfoque natural que chega a incomodar alguns, dizem que atrapalha conseguir deixar o que quer nítido.

  7. Sobre smartwatches, o Gear 3 não necessariamente aumentou de tamanho, o que a Samsung fez foi oferecer uma segunda opção de modelo que no caso é maior.
    E há sim vários smartwatches para os pulsos femininos, eles são menos comentados mais estão por aí, de vários fabricantes.

    Sobre o iPhone 7 não gosto da ideia de ter que mudar o design apenas por mudar. Pessoalmente gostaria que as bordas fossem apenas um pouco menos redondas e tivesse uns milímetros a mais de espessura, o que permitiria sensor de câmera maior e principalmente bateria maior. Não entendo essa máfia das baterias pequenas, por que não colocar uma bateria maior se é possível? Ao invés manter essa autonomia safada de hoje. Aquele mecanismo novo no botão é uma besteira, deveriam ter usado o espaço do conector do fone para algo mais útil.
    E afinal alguém sabe se o iPhone 7 terá carregamento rápido da bateria? Se não tiver é indesculpável.

    Nem falaram da câmera.

    1. O carregamento rápido de bateria do iPhone consiste em usar o plug de parede do iPad ao invés do que acompanha o iPhone. Pro 5s vai de 0 a 100% em 1h.

      1. Ah, é verdade. Mas com o cabo que vem junto nele não vai carregar rápido? É estranho se funcionar assim.

        1. Eu realmente não sei como é o carregamento com o adaptador padrão, mas acredito que demore bem mais. O carregador do iPad salvo engano fornece 12w x 5w do iPhone.

    2. Quais smartwatches são legais para pulsos femininos?

      Como disse no programa, acho espessura e peso fatores importantes, tanto quanto bateria. A Apple deve fazer um trabalho de análise, pelo menos ter uma ideia de como as pessoas usam o iPhone e quantas estão insatisfeitas com a bateria. (Eu, por exemplo, acho ela limitada, mas para o meu uso não chega a ser um ponto muito negativo.) Quando se prioriza bateria, acaba-se com trambolhos como o Moto X Play — que tem seu público, só não é o mesmo que compra iPhone.

      Não julgaria o novo botão como “besteira” antes de usá-lo.

      Por fim, o carregamento da bateria do iPhone há algumas gerações é bem rápido, mesmo com o carregador de parede específico do iPhone.

      1. Não quero um iPhone gordo, mas dava para adicionar uns mm a mais e isso faria diferença para a bateria. Poderia fazer parte de uma melhoria o design para ser menos escorregadio. E no caso da bateria carregar rápido, é daquele tipo que adiciona uma quantidade X de energia em Y tempo?

        E há sim algumas opções de smartwatch para mulheres. Há uma edição feminina do Moto 360, Huawei tem modelos femininos, há o Pebble Time Round e outras marcas menos conhecidas. Existem em menor quantidade sim, mas eles por aí.

        1. Mas os modelos “femininos” da Motorola e da Huawei tem caixa de 42mm ou 44mm – o Apple Watch maior é de 42mm e o menor, 38mm.
          Claro que são modelos redondos, então parecem menor do que são. Mas o Apple Watch menorzinho é bem pequeno e mais delicado.
          O único comparável deve ser o Pebble Time Round mesmo, que tem caixa de 38mm também.

          E um problema especialmente importante aqui no Brasil é que desses relógios, só o Apple Watch é vendido aqui. A Motorola só trouxe o 360 Sport dos modelos novos pra cá, e nem Huawei nem Pebble vendem seus relógios por aqui….

      2. Eu tou louco para usar esse novo botão home. Mesmo. Mais interessado que as cameras novas.

        Eu recentemente comprei um iPhone SE e é maravilhoso, super rápido, a bateria carrega de 20% a uns 50% em menos de 10min, é muito rápido. É impressionante mesmo. Carrega rapidinho.

        Esse novo botão Home deve ser muito bom. Assim que sair um novo SE com esse novo botão irei comprar :)

  8. “O iPhone 7 não empolgou — e isso não é ruim”
    “e isso não é ruim”
    “não é ruim”
    “é ruim”
    :)