Logo do Google I/O 2016.

Guia Prático #80: O Google corre atrás da concorrência


21/5/16 às 17h25

No programa de hoje, eu (Rodrigo Ghedin), Emily Canto Nunes e Paulo Higa falamos bastante sobre a Google I/O, conferência anual do Google para desenvolvedores que rolou essa semana. Várias novidades foram anunciadas, mas nenhuma novidade de fato. O Google mostrou apps, tecnologias e produtos que suas rivais já têm em funcionamento e espera, com tudo o que sabe da gente e sua avançada inteligência artificial, dar a volta por cima.

Se preferir, baixe o MP3 e ouça depois. E se você ainda não assinou o programa no seu player de podcasts favorito, tanto via iTunes quanto pelo RSS, faça isso já.

Links citados

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

21 comentários

  1. E sim, concordo com a Emily, baterias que duram mais que um dia vão ser a próxima grande revolução.

    Imagino o dia em que a Apple aparecer em uma das apresentações e anunciar o iPhone que dura 5 dias longe da tomada, isso sem mudar o tamanho do mesmo.

    Vai ser a maior revolução. Nada de assistente de voz, nada de celular desmontável. Bateria.

  2. Eu vejo o Amazon Echo como uma caixa de som com um “plus”, que é um microfone e assistente de voz. Acho bem legal. O Google Home tem um potencial grande, pela maior capacidade do Google de análise de dados.

    Mas concordo com o Ghedin, quem se preocupa com privacidade deve ficar longe desses produtos..

  3. A minha impressão desse I/O foi a de que o Google tá com muito engenheiro jovem no quadro, todos querendo ser o grande “pai de um incrível app do Google” pra ter um currículo legal depois.

    É muita ideia revolucionária em cima de coisas que já foram feitas ou em cima de “revoluções” que o Google sabe que nunca vão pegar, de fato, tipo o Allo e o Duo.

    Parece que só rola a vontade de apresentar um app bonitinho e moderno e colocar algum responsável por trás… e aí o projeto vai ser abandonado alguns meses depois.

  4. Acompanho os episódios do Guia Prático e noto que a discussão constantemente vai para o “modo reclamação”. As empresas não conseguem lançar produtos revolucionários todo ano, porém ficar reclamando de tudo e todos é complicado (afinal, só olhar qualquer smartphone hoje e ver o quanto a tecnologia avançou).

    Continuem com as análises e discussões produtivas que é o grande diferencial do site!

    Abraços!

    1. As empresas não colaboram muito também, né? :) Para cada coisa realmente legal/inovadora/transformadora lançam dezenas de outras ideias ruins ou mal executadas.

      Mas a sua crítica é bastante válida, Gustavo, porque frequentemente caímos nesse “modo reclamação”, às vezes até injustamente ou tendo coisa melhor para debater. Valeu pelo toque!

    2. Acho que é justificado as reclamações que fazem pois como exemplo os aplicativos de mensagens do Google, por que não juntar tudo no hangouts? ao invés disso criam mais 2 apps de mensagens sendo que já é difícil emplacar um. Eu acredito que o “modo reclamação” é bom pois levanta os pontos que as empresas estão pecando e onde podem melhorar.

  5. Engraçado como o Google apresentou o Cardboard como uma besteirinha e a proporção que isso se tornou. Eu penso que o futuro do VR pode ser sim em celulares, mesmo havendo o problema de resolução. Pense bem, o grande público nem se importa muito com qualidade de transmissão, o que são uns pixels na cara!?

    1. Eu não sei com telas 2K (ainda não vi), mas com o iPhone e telas Full HD os pixels ficam muito evidentes. Em imagem ouço (ouvia, na real) muita gente dizer que não via diferença do SD para HD/Full HD, mas a densidade desses óculos é bem mais perceptível. Talvez algo como o Xperia Z5, que roda em Full HD e eventualmente escala para 4K possa ser a resposta.

  6. Bom resumo do Google i/O, concordo que a maldita touchwiz acrescenta muita mais usabilidade/funções ao OS Android do que a própria Google acrescenta a cada nova versão do OS , e realmente no parâmetro de comunicação através de apps a big G está levando uma surra do Facebook.

    1. O Soli é do ano passado, né? Li meio por cima que anunciaram alguns avanços, mas enfim. Nosso tempo é limitado e faltou falar de outras coisas. E, sendo um veículo com foco no consumidor final, acabamos privilegiando assuntos mais próximos a esse público.

  7. “…a Google I/O, conferência anual do Google para desenvolvedores que rolou essa semana…”, apresentou algo muito importante para os desenvolvedores: O novo Firebase. Pena que nem tocaram no assunto no podcast.

    1. É, faltou tempo e, falando por mim, expertise no tema. Como disse ao @omujica:disqus, o Manual foca mais no consumidor final, por isso damos preferência a temas que afetam mais diretamente esse público.

  8. Impressionante como vocês são superficiais… Falar que uma empresa que mostra num evento uma camiseta que conversa com o celular através do toque, o Google Assistant, a VR dentro do mobile e vocês acham que ela está “correndo atrás da concorrência” beira a cegueira. Nem sei porque vim aqui ouvir essas bobagens. É sempre a mesma superficialidade.

  9. A parte mais interessante foi a chegada da Play Store no Chrome OS e os Chromebooks terem ultrapassado o Mac em vendas.

    1. A grande desvantagem nessa questão, vendo lado do Google é o que os chromebooks tem muito mais penetração na área educativa, escolas e isso não ajuda a manter a longo prazo boas vendas. Ou será que essas estudantes continuarão com o Chrome OS depois?