iPhone quebrado após cair no asfalto.

Guia Prático #64: Vendo o futuro da Apple através do mercado de ações


30/1/16 às 15h13

No programa de hoje, eu (Rodrigo Ghedin), Joel Nascimento Jr. e Paulo Higa pulamos de cabeça nos diversos relatórios financeiros que as maiores empresas de tecnologia liberaram essa semana. A Apple, por exemplo, nunca lucrou tanto quanto no último trimestre, mas os prognósticos para 2016 são ruins. Por quê? O baixo desempenho nas vendas de Lumias indica o fim do Windows Phone? Achamos que sim, e explicamos tudo isso e muito mais — é um dos programas mais didáticos da história recente Guia Prático!

Se preferir, baixe o MP3 e ouça depois. E se você ainda não assinou o programa no seu player de podcasts favorito, tanto via iTunes quanto pelo RSS, faça isso já.

Links citados

Erramos!

  • Quando o Joel diz que a Apple retomou seu crescimento com a volta do Jobs e a aposta em iMac e iPhone, ele quis dizer iMac e iPod.
  • Quando eu digo que a fabricante chinesa Oppo vendeu 50 milhões de smartphones no último trimestre de 2015, quis dizer no ano inteiro de 2015.

Foto do topo: Faris Algosaibi/Flickr.

Assine o Manual do Usuário

Ao acessar este blog, você não é rastreado ou monitorado por empresas como Google, Facebook e outras de publicidade digital. A sua privacidade é preservada. O Manual do Usuário tenta viabilizar-se por métodos alternativos e éticos. O principal é o financiamento coletivo. Colabore — custa a partir de R$ 9 por mês:

Assine no Catarse

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

21 comentários

  1. Eu acho que o WP supre bem uma lacuna que não dá lucro. Muita gente na periferia acaba tendo WP pelo preço e dá um jeito de usar os apps que não tem – acho que o único que não tem como contornar é o Snapchat – como a classe mais baixa (a famosa classe C) usualmente está acostumada a fazer.

    Dito isso, partindo para a análise dos participantes, acho-a bem embasada se olharmos do ponto de vista deles – pessoas de poder aquisitivo bem maior do que o usual do brasileiro – onde é uma opção comprar um telefone de ~R$4k (ou ter quem traga dos EUA, por exemplo) sem maiores problemas. Nesse espectro, não tem como ter uma boa visão do WP, iPhone e Androids topo de linha são muito melhores do que qualquer WP, mesmo os WP top, é acertado dizer que o WP falhou miseravelmente no segmento top – isso inclusive fica bem exemplificado na fala de um dos participantes (não sei quem foi) quando é falado sobre “sistema rápido x sistema fluido”. O WP é um sistema lento quando comparado com os aparelhos de topo de linha, mas, muito rápido quando comparado com os aparelhos mid-range pra baixo (friso que usar Android, com ou sem uma camada de SW em cima como a Touchwiz, é uma grande frustração, pra dizer o mínimo). Mas, acho que me repito nisso.

    Continuando, no segmento de baixo, o WP falou mais em marketing do que qualquer outra coisa. Um WP de R$400 é muito melhor que um Android de R$600, por exemplo – sempre me uso como exemplo e digo que usar um Moto G (primeira geração) hoje em dia é uma experiência semelhante a usar um computador com 128 MB de RAM: tenebrosa. Porém, a MS falhou miseravelmente em penetrar nos segmentos que ela poderia concorrer e por isso mesmo – falta de base instalada e bons acordos – em atrair aplicativos para a plataforma.

    Acho, por fim, que a última cartada da MS é o W10 e os apps universais da plataforma, se isso der errado – e parece que está dando – é o fim do WP. No ritmo atual, o WP deve durar mais uns 8/12 meses, no máximo, e depois é fechar a porta da lojinha e pedir desculpas aos acionistas – e se focar no Office, Windows e Xbox. E pra mim vai restar passar trabalho com um Android de R$600/R$800 rodando lento.

  2. Por volta dos 20 minutos o Joel falou (me perdoe se não foi o o Joel) que teve uma conversa com um funcionário de alto escalão da sony brasil que teria revelado que a Sony está se posicionando apenas com os consumidores de alto padrão. Uma vez que precisei utilizar o serviço de pós venda da Sony no Brasil essa declaração me parece muito estranha. Se a empresa realmente estivesse pensando em focar nos clientes de classes mais altas precisariam ter um atendimento pós venda que resolva os problemas dos clientes. Se hoje eles não conseguem resolver os problemas de clientes de baixo poder aquisitivo, e que acabam não cobrando seus direitos na justiça, imagina quando somente clientes de alto poder aquisitivo estiverem precisando de suporte.

    Se não investirem urgentemente nos canais de rede social e de suporte, precisarão investir muito mais com custas judiciais e advocatícias no futuro.

    Em tempo, eu adquiri um fone de ouvido da sony (até bem simples, custou R$99,00) e dei de presente para um usuário que possui um Sony Xperia Z2 e ao plugar o fone no Z2 é exibida mensagem de que o dispositivo não é compatível. Fiz vários contatos e até hoje não consegui resolver o problema. Tive que comprar um fone JBL para poder usar no telefone da sony. absolutamente ninguém do suporte da sony consegue resolver o problema. são 3 ou 4 canais de suporte que ficam empurrando a responsabilidade para o próximo canal e quando parece que vão resolver me mandam ligar pra uma assistência que não da suporte para fones de ouvido.

    Sony, nunca mais! nem se ganhar na mega-sena!

  3. A parte interessante é que, mais cedo ou mais tarde, a Apple deve diminuir receita pelos motivos discutidos e quando isso acontecer será um “Deus nos acuda” de textos e discussões sobre o fim da Apple: não inova mais, só vende iPhone, etc. Estará todo mundo animado uma startup que não lucra nada enquanto a Apple estará sob pressão lucrando bilhões, basicamente porque o futuro não é mais promissor como antes. ¯ _ (ツ) _ / ¯

    Em relação a esse cenário meio tenebroso para fabricantes de smartphones, acho que inovar é um aspecto relevante, mas crucial mesmo é ter uma vantagem competitiva que os concorrentes não possam tirar com facilidade. A Microsoft teve programas e compatibilidade hardware a seu favor nos desktops/notebooks, a Apple tem o eco-sistema de apps e de dispositivos (Mac, Apple TV, iPad, etc…) que somente ela pode oferecer. O Google tem o eco-sistema de apps ao seu lado, além dos usuários é claro.

    A inovação quebra essas barreiras, mas o novo concorrente precisa construir outras, a Samsung conseguiu competir por um tempo com hardware acima da média, mas isso é contornado rapidamente por concorrentes. Ela até tentou criar seu eco-sistema, mas fracassou enormemente, no S6 ela voltou a trazer hardware excepcional para Android…mas até quando isso é relevante? O Windows Phone, como dito pelo Joel, trouxe muita coisa interessantes como uma interface muito interessante (comparado com Android 2.3, era absurdamente melhor), ideias boas como os hubs e uma experiência bem mais agradável que o Android na época…mas perdeu o fôlego e todos esses diferenciais foram incorporados pelo Android e iOS.

    1. O mercado de ações (e o financeiro, de forma geral) é movido por tantas especulações que chega a ser bizarro. A Apple vendeu dezenas de milhões de iPhones, lucra absurdos, tem dinheiro em caixa para comprar metade do planeta, mas a espectativa de diminuição dos lucros (diminuição do lucro, não início de prejuízo!) derruba o preço das ações. Cômico.

      1. Na verdade faz sentido o valor da ação baixar se você pensar como um investidor que deseja revender, já que se compra pensando no Valor Futuro da empresa. Ela continuar lucrando muito, mas não ter perspectivas de aumentar, não gera lucro para quem pensa em revender futuramente.

        A questão é que parar de crescer não significa deixar de lucras, mas conhecendo as pessoas…isso não passará impune na mídia hah

    2. Basicamente, o grande problema da Apple é o que foi dito no podcast: ela depende do iPhone. Qualquer problema com o iPhone afunda a Apple (em termos) porque ela não tem diversidade de lucro. Idem pro Google (o lucro deles é ainda mais concentrado (em ADS) do que a Apple), a diferença principal é que o Google não precisa convencer pessoas a comprar equipamentos caros a cada 6 meses.

  4. Eu espero que o Windows Phone não morra. É o melhor sistema para aparelhos de 400 reais, especialmente pra sua mãe ou avó que não se dá bem com tecnologia e não se importa com a falta de apps (eu comprei um pra minha mãe). É só nessa faixa de preço que ele faz sentido.

    Dito isso, já faz anos que digo e repito que ele nunca seria relevante frente aos sistemas dominantes. Pior, não bastasse um sistema limitado em recursos e apps, ele tem um ritmo de desenvolvimento muito mais lento que os demais. Pra quem já está atrás da concorrência, isso não é nada bom.

    A única chance de sobrevivência é se a Microsoft optar por perder dinheiro com ele por mero hobby ou expectativa de um renascimento no futuro. Se o Ballmer ainda fosse CEO, eu apostaria minhas fichas nessa opção. Ocorre que o Nadella já deu todos os sinais de que quer a empresa focada onde ela é eficaz.

    E não dá pra esquecer, desculpem a honestidade, das análises de quase todos os blogs de tecnologia de que a Nokia fez bem em escolher o WP como sistema exclusivo, porque era a única maneira de se diferenciar dos demais. Se diferenciou bem, ela sumiu e os outros não.

    É uma pena, uma opção a menos, e uma opção que não será preenchida por mais ninguém. A MS era a única empresa com know how e capital pra tentar entrar num mercado com duas opções tão fortemente consolidadas. Se ela não conseguiu, ninguém mais consegue.

    1. É o que digo: no dia que lançarem Clash of Clans para Windows Phone, migro na hora. Os smarts de R$ 500 usando WP possuem um ótimo desempenho e câmera do que aqueles de R$ 800 com Android.

    2. É o que digo: no dia que lançarem Clash of Clans para Windows Phone, migro na hora. Os smarts de R$ 500 usando WP possuem um ótimo desempenho e câmera do que aqueles de R$ 800 com Android.

  5. Como diz o Saulo Albert, do Compêndio: Vamos com calma! ? Ainda acredito (mesmo que moderadamente) no Windows no smartphone. E precisamos dele. Não vejo como escolher apenas duas cores, duas marcas de cervejas ou de carros etc. O consumidor precisa de escolhas. Vem Windows 10⭐️

  6. Como diz o Saulo Albert, do Compêndio: Vamos com calma! ? Ainda acredito (mesmo que moderadamente) no Windows no smartphone. E precisamos dele. Não vejo como escolher apenas duas cores, duas marcas de cervejas ou de carros etc. O consumidor precisa de escolhas. Vem Windows 10⭐️

  7. eu só percebi que o windows phone era uma cilada depois de indicar pra duas pessoas e o sistema não atender as necessidades mais básicas, eu não to falando de early adopters ávidos pelos aplicativos da moda e sim de pessoas comuns que não conseguem instalar determinado aplicativo de banco por que não existe um aplicativo equivalente pra windows phone… sabe é complicado você acha que tá comprando um produto com ótimo custo beneficio e descobre que na verdade foi um desperdício de dinheiro

    1. Eu queria testar o Windows Phone, logo que lançou e quando atualizou para o 8/8.1, mas meu maior complicador é a falta de aplicativos do Google. Por isso que sinto falta, principalmente o Gmail, gosto muito do aplicativo padrão e não quero ir para um diferente. Mesmo no Android não mudo…
      Se o Google desse suporte ao sistema, como faz com o iOS já fica a feliz para testar, mas assim é complicado.

      Já desisti, não vejo mais existir uma possibilidade de sair do Android. Ainda mais com o Nexus 6P em mãos.

    2. Eu queria testar o Windows Phone, logo que lançou e quando atualizou para o 8/8.1, mas meu maior complicador é a falta de aplicativos do Google. Por isso que sinto falta, principalmente o Gmail, gosto muito do aplicativo padrão e não quero ir para um diferente. Mesmo no Android não mudo…
      Se o Google desse suporte ao sistema, como faz com o iOS já fica a feliz para testar, mas assim é complicado.

      Já desisti, não vejo mais existir uma possibilidade de sair do Android. Ainda mais com o Nexus 6P em mãos.

        1. Pois foi como eu disse, no lançamento do WP eu tive interesse em experimentar o sistema, mas eu desisti, como eu disse novamente não largo meu Nexus 6P.