Mark Zuckerberg falando à plateia no primeiro dia da F8 2015.

Guia Prático #153: Por que você deve se preocupar com seus dados pessoais e com o Facebook


24/3/18 às 12h52

Na semana em que o Facebook esteve sob fogo cerrado de governos, da imprensa e dos usuários, eu (Rodrigo Ghedin), Emily Canto Nunes e Joel Nascimento Jr. trazemos um dilema que talvez esteja passando pela cabeça de muita gente: é hora de sair do Facebook? Ouça aí:

Se preferir, baixe o MP3 para ouvir depois. E assine o programa, via iTunesou pelo RSS, para não perder nenhum episódio futuro.

Links citados no programa

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 comentários

  1. Olha os podcasts da gazeta do povo são excelentes. Eu gosto muito do ideias com o Rodrigo Constantino, Leandro Narloch … Agora quando vão falar de tecnologia vocês parecem a carta capital. Poxa a garota disse praticamente a mesma coisa que o George Soros. Ela quer o braço forte, controlador e opressor do estado para tomar conta dos adultos infantilizados que criaram conta no facebook sem ler os termos. Olha, o facebook é propriedade privada. Em momento nenhum essa empresa obrigou as pessoas a se inscreverem na sua plataforma. As pessoas foram lá e fizeram por livre e espontânea vontade. Concordo que Mark Zuckerberg é um individuo de moral questionável mas diferente do estado ele não usa de força ou violência para obrigar as pessoas a fazerem oque ele quer.

    1. O podcast do Manual precede a Gazeta, já vinha sendo feito muito antes de ser hospedado aqui. Normal que a linguagem do mesmo distoe do conteúdo do site como um todo, cabe aos criadores tomarem a decisão de manterem a essência ou se adequarem ao novo espaço a que pertencem. De qualquer forma, uma parte dos ouvintes não vai se sentir agradada, seja os que acompanham a Gazeta há algum tempo, sejamos nós que acompanhamos o GP desde o início. Lembrando que em sua maioria, os episódios do GP são compostos por jornalistas jovens que acompanham, em sua maioria, tecnologia, daí a linguagem e o ponto de vista do conteúdo remete a experiência dos mesmos.

  2. Deletei ontem minha conta do FB (ainda não permanentemente, eles deixam 14 dias a conta desativada) por N motivos, esse “vazamento de dados” foi apenas o estopim.

    Confesso que pensei duas vezes antes, achava tão perfeitinho meu perfil somente com fotos sobre mim, amigos atividades lá que outra e nenhum post compartilhado, usava meu perfil como cartão de visita. Mas soube que há uma opção para baixar todo conteúdo do FB nas configurações no TT, fui fundo sem arrependimento (ainda), espero não mudar de decisão.

    A segunda parte foi confrontar os amigos e conhecidos perguntando por que deletei a conta e me incentivando a ficar (talvez por isso não tenha como apagar a conta imediatamente, por esse lado os 14 dias fazem sentido), parecia que meu ato era uma rebeldia e uma ação impulsiva pela visão deles.

    Ao falar do comportamento do algoritmo no feed e anúncios, relatei pra um amigo que já comprei jogo no lançamento porque vi muitas vezes no Facebook e pensei não aguentar ver “todo mundo” (olha a bolha) falando sobre e não jogar. Também sempre quando estava no shopping era exibido o anúncio daquele famoso lugar de fast food e sempre comia lá, não posso dizer com total convicção se isso pesou ou não na decisão da escolha, mas creio que sim haha. E o que esse amigo me disse “eu gosto da integração da minha vida nas minhas contas” e “só vi vantagem, só me ajudou”. Desisti de me justificar, creio que poderia persuadir outros amigos a fazer o mesmo, mas é uma decisão bem pessoal, e, mesmo que ache prejudicial, para outros pode ser feature.

    É uma coisa muito boba, mas fiquei com muita repugnância ao saber que o app atualiza sozinho fora da PlayStore, o FB é praticamente um malware e poderia fazer o que quiser da noite para o dia em um celular Android. Além dos experimentos psicológicos que eles já fizeram nos usuários. Continuar usando pra mim é um ato muito submisso.

    Se você deletar/desativar seu Facebook, tenha em mente que as pessoas ao redor provavelmente irão querer fazer vc mudar de ideia, então tem que ter muita certeza haha

    Curiosidade: Quando fui jogar videogame pela manhã a imagem do meu perfil ficou assim (imagem em anexo), provável que fique também no Netflix, Spotify e outros serviços que não me recordo.

    Edit: Não consegui fazer upload da screenshot, mas ficou aquela imagem de uma sombra default do Facebook toda quadriculada no PlayStation kkk.

    1. Uma nota que devo dar: Não estou desmerecendo o discurso sobre o poder que o Facebook tem em manipular opinião política, mas os exemplos básicos e corriqueiros que dei foi para mostrar o quão suscetível pode ser mesmo para uma pessoa que tem ao menos uma ideia básica de como funciona o negócio. Se eles têm a capacidade de pesar em coisas simples e que são explícitas, imagina o que passa despercebido por debaixo dos panos.