A arte das continuações de grandes filmes que nunca existiram

Estúdios de cinema investem cada vez mais em sequências de sucesso do passado. Na semana passada, por exemplo, tivemos a estréia de Debi e Lóide 2, vinte anos depois do original. É um tipo de projeto mais seguro aos grandes estúdios, já que franquias consolidadas costumam ter um retorno financeiro mais garantido.

Infelizmente, existem filmes incríveis que ou não deram dinheiro, ou que acabaram se perdendo entre diversos projetos de seus criadores. Em ambos os casos, são histórias que dificilmente ganharão uma sequência. Por conta disso, alguns artistas criaram imagens e títulos fascinantes para filmes que não devem sair do papel. Além das imagens que selecionamos, abaixo, você pode ver e comprar elas e outras no site oficial ou, caso passe por Los Angeles até o dia 23, conferir in loco a exposição SEQUEL: Artists Imagine Movie Sequels That Were Never Made. Continue lendo “A arte das continuações de grandes filmes que nunca existiram”

O espaço em Interestelar é lindo

Eis que passamos pelo final de semana de abertura do filme de Christopher Nolan (trilogia Cavaleiro das Trevas, A Origem), Interestelar. A ficção científica espacial do último bat-diretor, que muitos já comparam com o clássico 2001: Uma Odisseia no Espaço de Stanley Kubrick, não foi o filme mais assistido nos EUA, mas merece ser visto na telona.

Valeria a pena só pelos 40 minutos de filme rodados em IMAX (Nolan é ótimo com essas câmeras gigantes), só que o filme ainda tem ótimas cenas no espaço, com o devido respeito à falta de som no vácuo. Além de contar com um elenco cheio de estrelas (risos) e uma trilha sonora incrível composta por Hans Zimmer. Continue lendo “O espaço em Interestelar é lindo”

Bastão para selfie

Nota do editor: Alguns meses depois de publicar este post, comprei um pau de selfie para ver qual era a dele. Clique aqui para ler o que achei do… OBJETO.

Mas o quê? Não pode ser.

Ou pode? Continue lendo “Bastão para selfie”

Acordei em 2004?

Não fosse o evento da Apple logo mais, eu estaria bem confuso agora.

O trailer de Men, Women and Children mostra pessoas se comunicando apenas por telas

Que senhor trailer, não? Apesar do clima meio pesado, Men, Women and Children é classificado como comédia dramática. A sucinta descrição no IMDb diz que se trata de “um olhar nas frustrações sexuais que adolescentes e adultos enfrentam no mundo de hoje.”

O filme, que já foi finalizado e estreia em setembro nos EUA, é baseado no livro homônimo de Chad Kultgen. Ele assina o roteiro ao lado de Erin Cressida Wilson e do diretor Jason Reitman, dos ótimos Amor sem Escalas e Juno.

***

Detalhe curioso: a Paramount Pictures está usando o Whisper, uma rede social de confissões anônimas, para a divulgação do longa.

***

Este mini-documentário fala da exibição de texto em dispositivos digitais nos filmes e TV. Não poderia ter aparecido em um momento mais oportuno, né?

Hyperlapse suaviza time lapses filmados em primeira pessoa

https://www.youtube.com/watch?v=6Mugq0CF0tg

Apresentamos um método para converter vídeos em primeira pessoa capturados, por exemplo, com uma câmera no capacete durante atividades como escalada e ciclismo, em vídeos hyper lapse, ou seja, vídeos em time lapse com um movimento de câmera suavizado.

Algumas similaridades com o Photosynth são gritantes e não é por acaso: dois do trio de pesquisadores responsável pelo Hyperlapse, Richard Szeliski e Johannes Kopf, trabalharam na tecnologia. O outro, Michael Cohen, também tem experiência na área — entre outras coisas, criou o Photo Fuse, do (finado?) Windows Live Galeria de Imagens.

Mais informações (vídeos, papers e explicações) na página da Microsoft Research. E, importante: “Estamos trabalhando duro para tornar o algoritmo do Hyperlapse disponível na forma de um app para Windows. Fique ligado!”

É possível hackear um avião pelo sistema de entretenimento dos passageiros?

Para mim, uma das coisas mais incríveis da aviação comercial é o piloto conseguir pousar sem visibilidade. Em todas as vezes em que desci no aeroporto de Curitiba, por exemplo, havia uma espessa camada de nuvens. Onde estou? Para onde vamos? E de repente, a pista, o pouso, tudo tranquilo. Não é à toa que, mesmo com os vários incidentes dos últimos meses o avião continua a ser um dos meios de transporte mais seguros.

Mas essa tranquilidade pode estar ameaçada. Dia desses a Reuters publicou um alerta: o pesquisador Ruben Santamarta, da IOActive, teria descoberto uma forma de hackear sistemas vitais de um avião através dos terminais de entretenimento dos passageiros.

Um punhado de sites replicou a notícia, alguns aumentando o tom. Na matéria original há uma chamada importante, porém:

“Ele [Santamarta] admite que seus hacks só foram testados em ambientes controlados, como o laboratório em Madrid da IOActive, e que eles podem ser difíceis de serem replicados no mundo real.”

Toda suspeita de comprometimento de um negócio tão sério quanto a aviação civil deve ser pesquisada e averiguada, mas é de bom tom deixarmos os alardes para quando justificado. Caso contrário, o que se faz é FUD1. Ninguém conhece os detalhes da pesquisa ainda e o próprio pesquisador ressalta que só garante a sua descoberta na teoria.

Santamarta apresentará mais detalhes da sua pequisa na Black Hat, uma conferência sobre segurança digital nos EUA. Enquanto isso, as empresas que usam o sistema segundo ele comprometido disseram que o risco é mínimo e se comprometeram a revisar esses procedimentos, e alguns pilotos, como o Lito, explicou por que essa ideia, de hackear um avião via terminal de entretenimento, é impossível na prática. O texto é bem fundamentado — pelo menos para um leigo como eu!

A Black Hat começou no último dia 2 de agosto e vai até amanhã (7), dia em que Santamarta fará sua aguardada apresentação.

  1. Fear, uncertainty and doubt, ou em bom português, tocar o terror! Termo usado na imprensa e entre entusiastas para indicar “notícias” sem embasamento técnico usadas para espalhar o medo e a incerteza.
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!