Os novos apps da Philco aprovados pelo Ministério das Comunicações são intrigantes

14/7/14 3 comentários

Quando o Ministério das Comunicações anunciou a exigência de apps nacionais nos smartphones comercializados aqui que quisessem se beneficiar da Lei do Bem, havia dois temores.

Primeiro, o de que esses apps viessem pré-instalados. Existia a possibilidade legal, mas reinou o bom senso junto às fabricantes e, até onde conheço, todas optaram por um atalho para baixar esses apps. O outro, de que a cota fosse preenchida por apps rasos, apenas para cumprir a obrigatoriedade legal. Não foi o caso com todas, e talvez a nova lista da Philco revele surpresas, mas esses nomes, e essas funções…

A notícia é da semana passada (a lista saiu no Diário Oficial da União de sete de julho), mas só soube dela hoje. O MiniCom aprovou uma nova rodada de apps da Philco, a maioria desenvolvida por uma talde Tap4 Informática. Confira alguns nomes:

  • Philco Bateria
  • Philco Câmera Frontal
  • Philco Clima
  • Philco Conversor de Moedas
  • Philco Lanterna
  • Philco Marcador de Livros (!)
  • Philco Fitness
  • Philco Tetris

A falta de originalidade no batismo desses apps já é meio chata, mas é a utilidade, que presumo dos nomes, o que mais intriga. Os apps soam redundantes e extremamente básicos, quando não são indecifráveis — o que o Philco Marcador de Livros faz, afinal?

Em meio a tudo isso, pelo menos um já tem minha admiração de cara: o Philco Gravador de Voz. Acredite se quiser, mas o Android não tem um app do tipo pré-instalado.

Os melhores apps para Android, iOS e Windows Phone (junho/2014)

11/7/14 3 comentários

Atrasou um pouco, mas os melhores apps de junho chegaram! Neste mês tivemos um punhado de grandes apps chegando ao Windows Phone, nem todos exatamente bons, infelizmente. Na lista abaixo, tudo o que de melhor que pintou nas três principais plataformas móveis — a já citada da Microsoft, mais Android e iOS.

Os apps estão em ordem alfabética e misturados, sem divisão por sistema. Quando multiplataforma, trazem todos os respectivos links. Pronto? Então vamos lá. Continuar lendo Os melhores apps para Android, iOS e Windows Phone (junho/2014)

A volta dos que não foram, estrelando ICQ

7/7/14 8 comentários

Hoje compartilharam comigo um post do Olhar Digital que dizia que “o ICQ voltou”. Durante o dia, um punhado de sites reverberou a notícia, incluindo alguns grandes e que não tratam especificamente de tecnologia, como Veja, G1 e Galileu.

O Henrique, do ZTOP, mandou para mim o comunicado à imprensa que anunciou as versões para smartphones do ICQ no Brasil. O e-mail data de 21 de junho de 2012. No iOS, o ICQ existe desde fevereiro de 2009.

Por que, então, 31 sites (no mínimo) publicaram essa “nãotícia”? O leitor Vagner Abreu matou a charada:

https://twitter.com/VagnerLigeiro/status/486274963138437121

O Mail.ru, atual proprietário do ICQ, está disparando um e-mail convidando antigos usuários a darem uma olhada nos apps. Na chamada vem escrito “Say hello to new ICQ”, seguido de uma lista de destaques. Concordo que o conceito de “novo” possa ser relativo, mas convenhamos: não é o caso aqui.

O (não tão) novo ICQ.
Imagem: ICQ.

O “novo” ICQ, versão 5.0, foi lançado em abril. Ele trouxe o novo visual no iOS, suporte a grupos de bate-papo, vídeo chamadas, papéis de parede e outros recursos menores, todos os que as “nãotícias” de hoje deram como novidade. A única destacada por elas que realmente consta da última atualização, a 5.3 de 26 de junho, é a presença dos stickers, aqueles emoticons gigantes.

Dá até para imaginar os russos olhando, intrigados, para relatórios de audiência e tráfego mostrando um aumento explosivo no uso do ICQ no Brasil hoje. A palavra tem poder.

App atualizado: Operadora DDD

Das coisas que sinto falta no iOS, o Operadora DDD é uma delas. Esse app para Android faz todo o trabalho sujo de manter atualizado ou modificar números em tempo real de acordo com a sua operadora, uma forma de aproveitar os descontos que elas dão para ligações entre seus próprios clientes e evitar pagar fortunas quando se liga para os das concorrentes.

A nova versão do Operadora DDD ganhou um visual mais refinado e conta agora com um modelo de assinatura. Custa US$ 1 por ano e dá direito aos seguintes recursos:

  • Inserção do nome da operadora do contato em seu número na tela de discagem.
  • Restauração de backup.
  • Histórico de alteração de operadora de todos os contatos.

A versão gratuita continua funcional e deve ser suficiente. Pelo custo-benefício, porém, vale a pena assinar ainda que apenas para apoiar o ótimo trabalho do Denis Souza.

Dica do leitor Nelson Silva Souza. Valeu!

Segurança de dispositivos móveis: além das senhas, códigos e padrões

4/7/14 3 comentários

Quando o Windows era mais suscetível a vírus e outros tipos de malware, ter um antivírus instalado era imprescindível. A primeira característica analisada era a eficiência dos algoritmos de detecção e heurística, mas outro fator também “pesava”: o impacto do monitoramento em tempo real no desempenho do computador.

O equilíbrio entre proteção e transparência é uma das metas mais difíceis de se alcançar quando se fala em segurança digital, especialmente para consumidores domésticos. O desafio não é tornar um sistema seguro, mas alcançar isso sem comprometer muito a experiência de uso.

Em dispositivos móveis isso também é válido, embora o dilema tenha outro foco. Pela sua característica nata, a mobilidade, perdas e roubos são merecedores de maior atenção. O mecanismo mais básico e um dos mais eficientes para minimizar danos em casos imprevistos é o código de bloqueio da tela — numérico, alfanumérico ou por padrão. Continuar lendo Segurança de dispositivos móveis: além das senhas, códigos e padrões

“Ok Google” passa a funcionar em português do Brasil

2/7/14 6 comentários

A ativação do Google Now por um comando de voz (“Ok Google”), antes exclusividade do Moto X, agora está disponível para qualquer Android capaz de rodar o assistente do Google. Segundo o Felipe, no Giz, os comandos por voz a partir de qualquer parte do sistema vêm com a versão 3.5.15 do app Pesquisa Google.

Fiz alguns testes em um Nexus 4 atualizado e, pelo menos aqui esse “qualquer parte do sistema” ainda não está disponível — no do Felipe também não. A ajuda diz que essa capacidade é restrita aos “falantes de inglês nos EUA”. Existe a possibilidade da documentação estar desatualizada — e fica a esperança de que seja o caso e, com o tempo, a ativação do comando em qualquer tela/app funcione com o português também.

Com o Google Now Launcher ativado, consegui usar o comando “Ok Google” a partir da tela inicial também, somando-se ao próprio Google Now. É pouco? É, mas já é alguma coisa. Saudades de programar o despertador falando com o Moto X

Dica do @gilbras. Valeu!

Quando (e por que) instalar um launcher alternativo no Android

30/6/14 10 comentários

Uma das belezas do Android é as concessões que ele dá ao usuário. Mesmo quem compra smartphone ou tablet com uma skin pesada e lotado de apps, encontra espaço para modificar, se não todo o sistema, parte dele. Uma das frentes mais importantes e fáceis dessa personalização são os launchers.

Um launcher é um aplicativo. Não é preciso fazer rooting ou incorrer em qualquer risco, e seu uso não viola a garantia. Um launcher é, para todos os fins, apenas um aplicativo e se comporta como tal, inclusive na instalação e remoção. Ele altera a tela inicial e alguns elementos visuais do Android — e por isso, também são conhecidos como “home replacements”, ou substitutos da tela inicial numa tradução livre.

Existem diversos launchers no mercado, de desenvolvedores independentes a grandes empresas, como o Facebook. Nas últimas semanas várias notícias nessa área surgiram, e não é de se espantar: o launcher é uma área premium, logo existe grande interesse por parte das empresas em conquistar esse espaço. Continuar lendo Quando (e por que) instalar um launcher alternativo no Android

Buffer lança Daily, um “Tinder para notícias”

E é tão ruim quanto a descrição soa. Além de reduzir o nosso trabalho a uma curtida ou um descarte e fazer de tudo para tornar essa ação a mais trivial possível, ele nem mostra o conteúdo dos artigos por padrão; só aparecem título e uma imagem.

Essa descrição, aliás, é uma tendência no Vale do Silício. Apps que são “Tinder de [insira algum filão]” têm se proliferado: de cabeça, me recordo do Tinder para vagas de emprego e do Tinder para idosos. Pesquisando, a primeira página de resultados do Google traz coisas ainda mais bizarras, como Tinder para cachorros (!) e o Tinder para comprar roupas.

No Daily (o Tinder de notícias, não se perca!), as curtidas se convertem em compartilhamentos. O app é do Buffer, um sistema que facilita a publicação de conteúdo em redes sociais e dá estatísticas e dicas para otimizar seu alcance. O foco que muitos sites têm dado a manchetes e imagens de abertura apelativas ganha mais uma justificativa com o Daily — como se faltasse incentivos a esse comportamento.

Yo: o futuro da comunicação ou a agulha que estourará a bolha 2.0?

18/6/14 13 comentários

O logo do Yo é tão simples quanto o app.
Imagem: Yo.

Imagine um app que tem como única finalidade mandar uma notificação que informa em texto e áudio, de um jeito engraçado, “yo”. O usuário adiciona seus amigos e, quando toca em um deles, manda um “yo”. Do outro lado, a única opção para quem recebe a mensagem é responder. Com um “yo”. E é basicamente só isso. Continuar lendo Yo: o futuro da comunicação ou a agulha que estourará a bolha 2.0?

A nova curtida GIGANTE do Facebook Messenger

13/6/14 4 comentários

Isto só pode ser zuera.
Foto: Rodrigo Ghedin.

A última atualização do Facebook Messenger para iPhone e Android trouxe a gravação de vídeos de até 15 segundos segurando um botão, um recurso parecido com os existentes no Snapchat, Vine e Instagram. É algo que se esperaria do vindouro Slingshot, o (segundo) concorrente ao Snapchat que está em produção por lá, mas apesar da implementação e dessa conexão nos bastidores, ele nem é a coisa mais interessante aqui.

Nas notas da versão 6.0, o segundo tópico chama mais a atenção:

Grandes curtidas: Mantenha pressionado para enviar um polegar ainda maior quando você curtir demais alguma coisa.

Essa novidade se refere àquele botão de polegar no canto inferior direito da tela que você só aperta sem querer e, toda vez, acaba mandando um curtir totalmente aleatório e fora de contexto no meio da conversa. Agora, dá para mandar curtidas gigantes, medianas ou apenas uma curtidinha.

Sou totalmente a favor dessas experimentações com interface de apps, mas isso só pode ser de zuera:

E ainda dizem que o Facebook parou de inovar. Pfff…