Hackeando a economia da atenção

Nota do editor: danah boyd é uma estudiosa da interseção entre tecnologia e sociedade. É pesquisadora do Microsoft Research, fundadora do Data & Society, professora visitante do Programa de Telecomunicações Interativas da Universidade de Nova York e autora dos livros It’s Complicated: The Social Lives of Networked Teens e Participatory Culture in a Networked Era (ambos ainda sem tradução no Brasil). Siga-a no Twitter.


Para a maioria dos leigos em tecnologia, o termo “hackear” invoca a noção do uso de técnicas sofisticadas para burlar a segurança de um sistema corporativo ou governamental para fins ilícitos. A maioria das pessoas engajada na quebra da segurança desses sistemas não estava ali necessariamente por espionar nem por crueldade. Nos anos 1990, cresci entre hackers adolescentes que queriam invadir sistemas de computadores de grandes instituições que eram parte fundacional do establishment de segurança, apenas para mostrar que eram capazes. O objetivo era desfrutar de uma sensação de poder em um mundo onde eles se sentiam bastante impotentes. A adrenalina estava em ser capaz de fazer algo e se sentir mais esperto do que os aclamados poderosos. Era pura diversão, um jogo. Pelo menos até eles começaram a ser presos. Continue lendo “Hackeando a economia da atenção”

Post livre #70

Toda sexta, o Manual do Usuário se transforma em uma praça pública através do post livre, um post sem conteúdo, publicado apenas para abrir o espaço para comentários onde conversamos sobre assuntos diversos, de tecnologia ou não. Participe!

DuckDuckGo como alternativa ao capitalismo de vigilância do Google

Na página inicial do buscador DuckDuckGo, logo abaixo do campo de busca, ou seja, em local de destaque, lê-se a seguinte frase: “A ferramenta de busca que não rastreia você”. É uma cutucada no Google, maior buscador do mundo, uma das maiores empresas de publicidade e das mais lucrativas da história. Quais as chances do pequeno DuckDuckGo frente a esse titã? Continue lendo “DuckDuckGo como alternativa ao capitalismo de vigilância do Google”

O que a foto vazada do G6 diz sobre o mercado de smartphones

O site norte-americano The Verge vazou a primeira imagem do que será o G6, novo smartphone topo de linha da LG. Mesmo escura e mostrando só metade do aparelho, percebe-se que a empresa adotará uma linguagem visual conservadora, similar à dos concorrentes mais populares. Outro detalhe importante, confirmado pela LG, é que o G6 abandonará o conceito de módulos que estreou ano passado, no G5. Como se vê, é difícil inovar. Continue lendo “O que a foto vazada do G6 diz sobre o mercado de smartphones”

A anatomia de um golpe: o caso do WhatsApp colorido

Com mais de um bilhão de usuários no mundo e uma base fanática no Brasil, é seguro dizer que, se não o aplicativo mais popular, o WhatsApp praticamente integrou-se à vida do brasileiro. Essa ubiquidade o transforma. Dizer que o WhatsApp é um app de mensagens é reduzir suas funções e o potencial inventivo da multidão que o usa para os mais diversos fins. Entre eles, inclusive, disseminar boatos ancorados na boa-fé (ou o contrário) dos outros e aplicar golpes. Continue lendo “A anatomia de um golpe: o caso do WhatsApp colorido”

Post livre #69

Assuntos aleatórios, sobre tecnologia ou não, têm espaço no post livre, um post semanal, sem conteúdo, apenas para abrir os comentários. Aí a gente propõe uns assuntos, comenta nos tópicos dos outros, enfim, conversamos.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!